Pokémon Blast

Competitivo 101: Que comecem as aulas para treinadores Pokémon iniciantes!

Com o sucesso do grupo Pokémon Blast , o surgimento da sua própria liga e os constantes torneios que voltaram à popularidade com a chegada... (por Unknown em 10/01/2014, via Nintendo Blast)

Com o sucesso do grupo Pokémon Blast, o surgimento da sua própria liga e os constantes torneios que voltaram à popularidade com a chegada de Pokémon X/Y (3DS), o cenário competitivo da franquia de monstrinhos mais famosa do mundo nunca esteve tão agitado como agora. Num confronto de veteranos, novatos e velhos jogadores que voltaram agora, resolvi iniciar um novo projeto com a parceria do redator Jameson Sheen, já conhecido por suas postagens na coluna Pokémon Blast. Sem mais delongas, apresentamos a vocês o “Competitivo 101”!

Espera, o que Thunderbolts é isso?!

Através de um bocado de pesquisa, Sheen e eu percebemos que falta no Brasil conteúdo direcionado ao básico do competitivo. Temos diversas comunidades que permitem a interação entre jogadores, dando a oportunidade de tirarem dúvidas, trocarem monstrinhos e batalharem entre si, mas praticamente nenhuma dessas contém ensinamentos que expliquem aos jogadores como entrar no mundo competitivo e serem capazes de combater. Foi pensando nisso que nasceu o projeto "Competitivo 101".

Não, eu não irei ensinar sobre
a biologia de um Marill.
A não ser que vocês queiram.
O nome vem de um termo norte-americano ("One-o-one", "101") que significa "o básico e essencial de determinado assunto", apropriado para o tema abordado. O projeto terá como base ensinamentos relacionados ao cenário competitivo de Pokémon, oficial e não-oficial, como a formação de times equilibrados, a atuação de determinados Pokémon e os diferentes papéis que eles podem exercer em combate, a melhor forma de distribuir EVs, os arquétipos básicos dos diferentes tipos do jogo etc.

Dividido em diversas partes, acreditamos que o Competitivo 101 irá sanar muitas das dúvidas que vocês leitores possam ter sobre como começar a formar seus times e participar de torneios. Claro que tudo leva estudo e prática, mas se torna muito mais fácil tendo um norte inicial. Sem mais delongas, vamos começar as aulas!

Antes de mais nada, por que entrar no mundo competitivo de Pokémon?

Essa é uma pergunta que eu ouço muito de amigos que não são familiares com o outro lado de Pokémon, então meio que acabei por criar uma resposta automática em minha cabeça para esse tipo de situação. Basicamente, o cenário competitivo é como a história principal dos jogos, mas com uma dificuldade bem maior e com uma trama que você mesmo escreve.

Esse tipo de batalha não seria
possível no decorrer da história.
No competitivo, alguns fatores que são importantes no jogo para obter vantagem contra o oponente tornam-se irrelevantes. Todos jogam nos mesmos níveis, então não há como ficar por cima, todos têm conhecimento instintivo humano e não controlado por uma máquina, e a recompensa é maior do que a fama de ser um "Mestre Pokémon" numa aventura que apenas você irá ver. Aqui, a fama é real.

Mas claro, algumas coisas são parecidas com o jogo em si; não se conquista nada sem esforço e trabalho duro, assim como não deve se esperar uma batalha fácil independente da situação. Cada oponente pode ser uma nova surpresa e uma nova história a se contar, e a maior semelhança de todas é que ambas as modalidades lhe presenteiam com experiência. Claro, cada uma oferecesse seu próprio tipo.

E quais as principais diferenças entre jogar no competitivo e in-game?

Outra dúvida clássica que permeia a base de fãs que deseja começar a jogar a sério é exatamente essa, referente ao que muda entre se aventurar na região do jogo e entre torneios mundo afora. Essa é um pouco mais complexa de se responder e de ser assimilada pelos novatos, então é preciso listar cada diferença e explicar uma a uma.

A primeira e mais notável diferença é que a troca de Pokémon não é tão livre como no jogo. Enquanto numa batalha de treinador na aventura é permitido realizar trocas sempre que um monstrinho do oponente é abatido, isso não é possível ao lutar contra outra pessoa. Mesmo que isso pareça limitante, contudo, as trocas (ou "switches") são uma peça fundamental do cenário competitivo, mas isso será explicado em outra aula.
Ah, caso queiram praticar a lutar deste modo, é possível remover a opção de troca das batalhas ao ir nas opções de seu jogo e, no menu "Battle Style", mudar de "Switch" para "Set"!
A segunda mudança é que o jogador não pode contar com o uso de itens para se salvar. Esqueçam seus Full Restores e X Attacks, nada disso poderá resgatá-lo num confronto competitivo. Na verdade, esse é o principal motivo pelo qual o uso de itens equipados ("Hold Items") são tão essenciais em batalhas sérias, pois são todo o suporte com que seu monstrinho poderá contar quando o calor da batalha estiver nas alturas.

A terceira diferença é que algumas estratégias que funcionam no jogo podem não ser tão eficientes quando contra outras pessoas. Pokémon com quatro golpes ofensivos no modo história podem ser eficientes para enfrentar uma vasta variedade de oponentes, mas será muito comum os mesmos monstrinhos terem movimentos de status em seus arsenais, sejam de suporte próprio, alheio ou mesmo para prejudicar o oponente.

Enquanto Swords Dance pode não ser muito usado na aventura, é um excelente movimento de suporte no competitivo.
Por fim, a última diferença notável é que a aventura não para. Enquanto no jogo você está refém da história, da trama e dos desafios aos ginásios e à liga, quando se joga no competitivo, o céu é o limite. Sempre haverá alguém novo para se enfrentar, um novo desafio a ser superado, algo novo para se aprender. Se acha que basta saber como todos os golpes funcionam ou todas as relações entre tipos, está enganado. A ação começa quando tudo isso é colocado à prova.

Smogonfag versus Karenfag

Para concluir essa aula introdutória, acredito ser uma boa falar sobre esses dois rótulos que permeiam o cenário competitivo de Pokémon. Como sabem, atualmente temos 718 possíveis monstrinhos para compor a sua equipe de 6, o que torna bem complexa essa escolha. Existem aqueles que preferem formar o time mais potente de todos ao escolher a elite dos Pokémon, e existem aqueles que usam os monstrinhos que mais gostam. É aí que essa fronteira nasceu.

E se sabem inglês, sugiro
conferirem seu trabalho.
O termo Smogonfag veio da junção de Smogon, nome alemão do Pokémon Koffing e provindo da Smogon University, uma das maiores comunidades de Pokémon competitivo do mundo, e da palavra "faggot", que apesar de ser traduzida como "bicha" deve ser considerada de forma amistosa, como você chama aquele seu amigo próximo por uma série de adjetivos supostamente pejorativos. Este título define as pessoas que seguem fielmente as sugestões gerais da Smogon na formação de seu time, compondo-o dos mais poderosos Pokémon disponíveis para garantir a vitória. É por causa de pessoas assim que o competitivo está cheio de monstrinhos repetidos em diversos times por serem excessivamente bons, como é o caso de Scizor e Rotom-Wash.

Já os Karenfags tem outra inspiração para sua atitude. Tendo como origem a personagem Karen, da Elite 4 de Johto, o lema dos seguidores deste estilo é a frase icônica que a treinadora diz ao fim do seu embate com o protagonista:
"Pokémon forte, Pokémon fraco. Isso é apenas um retrato da egoísta percepção das pessoas. Treinadores verdadeiramente habilidosos devem tentar vencer com os Pokémon que mais gostam."
Apesar de a frase ser auto-explicativa, é válido evidenciar que os Karenfags são os treinadores que não se importam com o "potencial competitivo" dos Pokémon que usam, tentando apenas tirar o melhor deles. Na verdade, isso prova ser uma excelente estratégia, pois a maioria dos treinadores experientes não sabe como enfrentar determinadas ameaças pouco usadas.

Pessoalmente, eu não vejo problema em querer ser o melhor e fazer o que for possível para tal, mas eu encorajo o uso de escolhas heterodoxas para a formação de seu time e seguir o caminho da Karen. Como o próprio Sheen já disse em uma de suas matérias (uma das minhas favoritas, diga-se de passagem), usar estratégias repetidas não lhe tornam um bom treinador, e sim a forma de extrair o máximo de seus parceiros. Não sabe como fazer isso? Bem, é pra isso que estamos aqui.

Isso conclui a aula introdutória do Competitivo 101. A partir de hoje, registrem em suas agendas que todas as terças e sextas teremos uma aula diferente com mais um assunto sobre o cenário profissional de Pokémon! E como não pode haver aula sem dúvidas, a partir de hoje estarei pegando emprestado do meu parceiro Sheen a seção "Ask Me-owth", tirando as dúvidas dos comentários das aulas! Deixo avisado que darei preferência para perguntas relevantes à aula do dia, mas toda dúvida será sanada! Guardem seus materiais e estão liberados, vejo vocês na próxima semana!
Revisão: Bruno Nominato
Capa: Diego Migueis

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook


  1. Ótima materia continuem
    Mas o que você(s) acha(m) do meu time ?! (Se quiser eu coloco evs e ivs nat. etc ) ah e este time é para o battle subway super single :
    GLISCOR. JELLICENT
    FERROTHORN MAS POSSO COLOCAR NO LUCAR DE ALGUM HYDREIGON OU QUALQUER OUTRO MAS EU NÃO SOU MUITO CHEGADO EM LENDÁRIOS OU PSEUDOS PORÉM ESTOU APTO À MUDANÇAS POR FAVOR ME DIGAM SE QUISER EU COLOCO DETALHES RESTANTES É SO PERGUNTAR(EM).

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a materia. Sou um dos antigos jogadores(o Sheen falou de um pessoal que parou na 2' geração e que está voltando agora, esse é o meu caso). Logo n entendo nada quando falam de effort e lv e essas coisas.kkk
    O engraçado é que responderam minha 1' pergunta sem querer. Sempre pensei que um pokémon de agua com 1 golpe ground, 1 ice e 1 water seria forte(o outro move tb seria ofensivo)(realmente no jogo é muito valido), mais já me disseram que em competições n é bem assim.
    N vou sentar na 1 fileira, mais vou "assistir" todas as aulas.

    ResponderExcluir
  3. Espero entender mais sobre esse cenário competitivo... adorei a matéria (ou aula rsrs)

    ResponderExcluir