Os mais notáveis jogos de futebol nos consoles da Nintendo

Do Switch ao Nintendinho, vamos relembrar jogos que fizeram o torcedor nintendista vibrar a cada gol.


Hoje é o dia do lançamento de FIFA 19 no Switch. Ao contrário do que aconteceu no Wii U, o game desenvolvido pela Electronic Arts têm sido um lançamento recorrente no híbrido até o momento, e ainda deve receber novas versões nos próximos anos. Aproveitando esse clima de alegria, emoção e competitividade que o esporte mais popular do mundo nos proporciona, vamos entrar na máquina do tempo para relembrar as maiores pérolas do futebol presentes nos consoles de mesa da Nintendo.

Switch, o fenômeno, novo queridinho da galera

Dando o pontapé inicial pela experiência mais recente, temos como grande destaque futebolístico no Switch a própria série da EA Sports. O FIFA 18 chegou de forma bastante polêmica ao console, primeiramente por não usar o motor gráfico Frostbite, e por isso o modo Journey (história) não está disponível na versão do híbrido da Big N. Além disso, a EA não implementou multiplayer online com os amigos, o que desapontou muitos fãs que gostariam de jogar a distância com seus parceiros(as) de jogatina. Entretanto, quem jogou a versão garante que é a melhor experiência portátil da franquia.

O FIFA 19 chega mais completo, dessa vez com a função de jogar com os amigos online. Após tomar da concorrente a importante licença da Champions League, a empresa traz o game ao Switch somente sem a conclusão da história de Alex Hunter. Já foi dito que este é o último ano do modo, que foi planejado desde o início como uma trilogia. Resta esperar para ver se haverá uma nova história e se ela estará disponível para os nintendistas no próximo ano.

Para quem é fã do esporte, mas prefere variar a jogatina ao invés de se apegar aos simuladores, a Sega nos permite pendurar as chuteiras, vestir o paletó e ir gerenciar o time em Football Manager Touch 2018. Entre os indies, há a experiência cúbica e minimalista de Soccer Slammers e a homenagem aos clássicos de Legendary Eleven. Se além de futebol você gosta de carros, com certeza já conhece Rocket League, o fenômeno eSport da Psyonix.


Wii U, o alto investimento que não gerou retorno ao time

É um consenso que o Wii U não fez uma das melhores temporadas pela Nintendo. O console começou com tudo, cheio de novidades e recursos únicos, mas logo acabou o gás, e sem o apoio da torcida, acabou jogado para escanteio. Logo no dia do seu lançamento o console recebeu uma assistência da EA Sports com o FIFA Soccer 13. Entretanto, as baixas vendas do console resultaram no fim do apoio de diversas third parties, e por isso a sequência acabou levando um cartão vermelho.

Depois disso, o melhor que vimos dentro das quatro linhas no Wii U foi a turma do Mario e do Sonic disputando a medalha de ouro da modalidade nas olimpíadas, e em terras “brazukas”, em Mario & Sonic at the Rio 2016 Olympic Games — e sim, eu sei que muita gente prefere essa versão de futebol, independente da história do console “pé frio” da Nintendo.


Wii, a lendária surpresa que ganhou tudo em sua época

O Wii é o grande astro do time da Nintendo. Simplesmente passou voando por cima de todos os seus concorrentes e por isso recebeu diversos jogos, incluindo os de futebol. Nesta época, a briga entre as franquias da EA e Konami já estava firme. Apesar de hoje os “fifeiros” serem maioria, o PES era o game mais jogado onde quer que eu fosse na época — geralmente eu via isso nos consoles da Sony ao menos. Suas versões também chamaram mais atenção da crítica: Pro Evolution Soccer 2010 recebeu uma nota 82 no Metacritic, enquanto o Pro Evolution Soccer 2008, ficou um ponto acima na tabela. Ambos focaram nos controles de movimento proporcionados pelos Wii Remote & Nunchuck.

Mas estamos falando de Nintendo, certo? E quem é mais popular que Cristiano Ronaldo e Messi para os fãs da Big N? Claro que é o bigodudo mais querido dos games. Após um belo primeiro jogo no GameCube, Mario estrelava a sequência de seu próprio jogo de futebol no Wii, com Mario Strikers Charged. O game traz, é claro, tudo que os jogos de esporte do encanador têm direito, como acrobacias exageradas, power-ups e movimentos especiais.


Gamecube, o centroavante matador que fez sua parte, mas perdeu o título

Com o hardware mais poderoso da geração, e o 3D já estabelecido como padrão da indústria, o GameCube recebeu muitos simuladores de esporte, buscando chamar atenção dos consumidores, que se maravilhavam com a nova realidade gráfica. Entre eles podemos citar os lançamentos anuais da série da EA: FIFA Soccer 2002, 2003, 2004, 2005, 06, 07, as versões especiais de Copa do Mundo 2002 FIFA World Cup e 2006 FIFA World Cup, além do divertido FIFA Street 2.

Pelo lado da Konami, o único lançamento foi World Soccer Winning Eleven 6 Final Evolution. Já a Sega, após ter seu Dreamcast indo mais cedo para o chuveiro, trouxe vários de seus títulos para o “forninho” da Nintendo. Entre eles, vale a pena citar o simulador Virtua Striker 2002. O encanador bigodudo da Nintendo fazia sua estréia nos campos de futebol com Super Mario Strikers em 2005, mas o jogo do esporte bretão mais curioso do console com certeza é o Disney Sports Soccer. Por ter sido lançado três anos mais cedo, será que ele foi a inspiração para a Big N colocar chuteiras em seu próprio mascote?


Nintendo 64, um jogador diferenciado, mas sem objetividade

O Nintendo 64 representa para a Nintendo a conclusão da transição entre os gráficos 2D e 3D. Enquanto observava a rival Sega e sua ex-parceira Sony lançando seus consoles de 32-bits, a casa do Mario fazia suas experiências em realidade virtual com o Virtual Boy, e então chegou com um console de 64-bits e com um novo controle, que parecia ser feito para jogadores de três braços, com uma alavanca analógica para melhor movimentação 3D, a fim de esmagar a concorrência.

Porém, o uso de cartuchos prejudicou bastante a Nintendo. O CD era a novidade quente do momento, e muitos consumidores preferiram ter em sua sala aparelhos que, além de rodar jogos, permitiam ler a nova mídia. As próprias desenvolvedoras de jogos que eram parceiras antigas da Big N foram lançar seus jogos na concorrência, por conta do pequeno espaço de 64MB no cartucho, em relação aos 640-700 MB nos cds, permitindo fazer jogos mais detalhados, incluir cutscenes animadas e som de maior qualidade em seus trabalhos.

Entretanto, ano de Copa do Mundo é ano de vender jogos de futebol, e em 1998, ano que não traz muitas boas lembranças para os brasileiros, o 64 recebeu World Cup 98 da EA, e International Super Star Soccer ‘98, da Konami.


Super Nintendo, entra nos acréscimos e faz o gol da vitória

O eterno rival do Mega Drive só conseguiu passar o concorrente no final da geração, no que foi conhecido como a “guerra dos consoles” na era 16-bits. E é claro que com vários clássicos amados pelos fãs até hoje, o SNES recebeu também bons jogos de futebol, sendo o melhor deles o aclamado Mega Man Soccer, da Capcom — é brincadeira, mas não dava pra não citá-lo nesse texto.

A série FIFA esteve presente no console, mas não possuía grandes jogos. Já a Konami fez bastante sucesso com os divertidos International Super Star Soccer, e posteriormente, International Super Star Soccer Deluxe. O segundo é uma versão mais bonita, fluida e com controles melhores do que o primeiro. O que a galera mais gostava era executar os comandos que possibilitam transformar o árbitro e seus assistentes em cães. O jogo também possui vários “macetes”, como o “gol de replay” ou a possibilidade entrar com a bola na meta e continuar comemorando até soltar o botão direcional.

Porém, os brasileiros tiveram acesso a versões ainda melhores desses games. Graças aos “hermanos” paraguaios, hack-roms (modificações não-oficiais) chegavam aos montes ao Brasil, traduzidas para “portunhol”, e vendidas principalmente em camelôs. As mais conhecidas são Futebol Brasileiro 96, Ronaldinho Soccer 97, Ronaldinho Campeonato Brasileiro 98 e suas diversas variações.


NES, o clássico dos clássicos, porque o que é bom nunca fica velho

O Nintendo Entertainment System, ou NES, reinou absoluto em sua geração — no Brasil e na europa não. E mesmo em uma época de gráficos e controles simples, recebeu muitos jogos de futebol. Entre os melhores podemos citar: Konami Hyper Soccer, lançado em 1992, quando o Super Nintendo já encontrava seu lugar no mundo. O game possui gráficos incríveis para o nintendinho e uma jogabilidade fluida. Tecmo Cup - Soccer Game, lançado em 1988, que na verdade funciona mais como um jogo de estratégia em turnos com o tema futebol. Nintendo World Cup, lançado em 1990, conta com opções de estratégia e alguns dos jogadores mais engraçados que você verá por aí.

Para quem é fã da série de TV Captain Tsubasa, ou Super Campeões, como ficou conhecida aqui no Brasil — que inclusive recebeu um belíssimo remake ultimamente —, é possível encontrar na biblioteca do NES o incrível jogo Captain Tsubasa Vol. II: Super Striker, onde o menino gênio da bola Oozora Tsubasa vem para o Brasil acompanhado pelo seu mentor Roberto Hongo, jogar pelo São Paulo FC, enquanto sonha em vencer a Copa do Mundo de Futebol. O game é assinado pela Tecmo e segue o mesmo estilo do já citado Tecmo Cup, onde os movimentos dos jogadores são escolhidos por turno. Porém, nesse caso há os exageros e golpes especiais característicos de cada personagem, já conhecidos por quem acompanhou o anime. Só sai golaço!


E assim, terminamos nossa viagem pelos gramados da Nintendo. Quais desses jogos possuem lugar de destaque no seu coração? Além dos citados, quais vocês indicariam para os amantes do futebol?

Leia também a convocação realizada pela nossa equipe durante a última Copa do Mundo, ou saiba mais sobre o melhor jogador de futebol de todos os tempos nos games:
Revisão: Ana Krishna Peixoto
Lucian Helan é formado em Redes de Computadores, mas gosta mesmo é de pilotar uns Karts por aí, atirar plasma com seu mega buster, correr em loops a toda velocidade e derrotar crocodilos ladrões de bananas. Seus sonhos incluem, pilotar uma X-Wing, andar no recreio com o Peter Parker e conseguir um tempo para se dedicar ao seu Instagram.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook