Jogamos

Análise: Touhou: Azure Reflections (Switch) te desafia a se defender de uma cortina de tiros

Jogo baseado na série Touhou Project enche a tela de projéteis de uma forma acessível.


Touhou Project é uma série de sucesso no Japão. Ela começou com jogos de shoot’em up desenvolvida na década de 90 por apenas uma pessoa. Desde sua criação, vários produtos baseados em seus personagens são produzidos por fãs. A série está no Guinness, livro dos recordes, como maior número de jogos feitos por fãs. Touhou Azure Reflections faz parte dessa enorme lista de shoot’em up baseados no mundo da série Touhou.

Preocupe-se com os tiros, não com a história


Azure Reflections não tem preocupações com a história da série Touhou, quem nunca ouviu falar não vai se sentir perdido. A narrativa é simples e está repleta de piadas e trocadilhos. A cada fase que passa, antes e depois de enfrentar o chefe, ocorre um diálogo entre os personagens. Essa conversa possui um tom cômico e avança muito pouco os acontecimentos do jogo.



A história coloca todas as personagens presas em uma névoa vermelha. Quando essas meninas se encontram elas brigam entre si. O jogador começa tendo apenas Reimu Hakurei como personagem jogável, e após terminar algumas campanhas, a maga Marisa Kirisame e a fada Cirno são liberadas para serem controladas.

Fases e campanhas curtas, mas bem preenchidas


Os estágios em Azure Reflections são bem simples, mas calma, simples como estruturas e não em dificuldade. O jogador precisa atravessar a onda de adversários que consistem em inimigos comuns, sub-chefes e os chefões. Em alguns momentos pode ficar caótico, com vários projéteis enchendo a tela. No entanto, a distância percorrida desde o início da fase até o encontro do chefe é pequena a ponto de parecer um boss rush. Igualmente curta é a campanha, que possui sete fases e metade delas é o mesmo cenário.

Para facilitar a vida, o jogador pode escolher várias dificuldades, do modo fácil ao modo lunático, além de te deixar escolher o comportamento dos projéteis que podem ser retos, espalhados ou teleguiado. Ainda existem acessórios que podem ser equipados para melhorar a personagem e facilitar a campanha.

O modo fácil possui menos tiros na tela, mas é feito de uma forma que parece ser caótico. Dessa forma, o jogador iniciante pode se sentir vitorioso ao derrotar um chefe sem morrer. No entanto, o modo fácil não libera algumas das coleções que ficam no modo biblioteca do jogo. Há também um modo cooperativo para duas pessoas. Esse modo não muda o nível de dificuldade do jogo e pode ajudar na hora de enfrentar alguns chefes. Infelizmente, os dois jogadores compartilham o mesmo número de vidas, bombas, pontos e escudo.

Fácil de jogar, difícil de aperfeiçoar


Conhecido por ser um dos gêneros de vídeo game mais difíceis, o bullet hell espanta muitas pessoas que não se sentem prontas para o desafio. Porém, Azure Reflections apresenta uma mecânica que pode facilitar a partida e diminuir o medo dos gamers.

A mecânica que facilita a vida do jogador é chamada de Danmaku Rush, que é uma investida onde o personagem fica invencível. Ao ser invocado, a personagem cria uma barreira que absorve os projéteis inimigos, deixando o golpe mais forte. Esse golpe também serve como escudo e pode salvar o jogador em momentos que não tem espaço para escapar dos tiros na tela. Apesar do golpe ter uma barra para encher, o jogador pode utilizar apenas a barreira, sem a investida, com o custo dos pontos de força que são coletados durante a fase.



Além da investida protetora, o jogo também possui acessórios, que são comprados com a moeda do jogo coletada durante as fases. Cada um dá uma melhoria diferente para a personagem. Quanto mais forem comprados, mais poderão ser equipados. As melhorias vão de menos tempo para carregar a barreira, maior ou menor velocidade até mais força nos tiros. Para melhorar, esses acessórios também customizam o visual da feiticeira durante o jogo.

Outra mecânica que salva muitas vidas em Azure Reflections é a necessidade de levar dois tiros consecutivos para a feiticeira morrer. Ao ser atingida, ela é empurrada e fica atordoada por um curto período. A garota só perde uma vida caso leve um tiro durante esse tempo.



Mas não se iluda, com exceção do modo fácil, essas mecânicas salvadoras, não fazem o jogo ser um passeio no parque.  

Gráficos simples, mas agrada quem olhar


Apesar de ser um shoot’em-up em 2D, as personagens e os cenários são feitos em 3D. Apenas as personagens são bem trabalhadas, possuem um estilo em animê e as texturas tentam, bem levemente, parecer com desenhos a mão. Algo que só é visto quando as garotas estão mais próximas da câmera.

Os cenários são simples, e infelizmente as cores do fundo pode se misturar com os projéteis inimigos, causando confusão e frustração. Outro fator que pode confundir é o tamanho da caixa de colisão que é do tamanho da cintura da personagem. A boa notícia é que existe a opção de deixar a hitbox visível.

Temos que pegar todos os colecionáveis 


Touhou Azure Reflections é um bom jogo para quem gosta de liberar conteúdo. Inicialmente, apenas a história de Reimu está liberada para jogar. É necessário terminar uma campanha para liberar outras personagens. Cada garota liberada possui dificuldade mais elevada que a anterior. A cada conquista, modos mais difíceis são desbloqueáveis, podendo ativar personagens secretas e o modo lunático. Outra atividade para se continuar jogando é a de juntar moedas para comprar todos os acessórios disponíveis, além da variedade de customização, a personagem pode ficar mais poderosa e o jogo fica mais fácil.

Mas espere, tem mais! A partir da dificuldade normal, se o jogador conseguir capturar duas Spell Cards de cada chefe, um modelo 3D da personagem será liberado para visualização. Repita a operação em campanhas mais difíceis e poderá visualizar a feiticeira em poses diferentes.

Um bom começo


Jogos de shoot’em-up com especialização em bullet hell possuem um nicho próprio e a dificuldade que esse estilo propõe afasta jogadores com menos propensão ao caos. Ao criar mecânicas acessíveis ao público “casual” e fases difíceis para o jogador experiente, Azure Reflections abre portas para mais fãs do gênero e do seu jogo em si.

Além de acessível, o jogo possui conteúdo extra o suficiente para incentivar os jogadores a retornar à jogatina e aprimorar suas habilidades. Quem conseguir aperfeiçoar os controles do jogo será presenteado com modos mais difíceis, troféus e novos modelos para visualizar na biblioteca do jogo. Felizmente, isso pode amenizar as campanhas curtas, que possuem poucas fases e pouca variação de inimigos comuns e subchefes.

Azure Reflections peca apenas nos gráficos e não consegue evitar a frustração do jogador ao se confundir com balas invisíveis ou caixa de colisão pequena. Também possui campanhas curtas com poucas fases. Mesmo assim, é um bom jogo para quem é fã e para quem quer conhecer o estilo shoot’em up.

Prós

  • Possui boa variação de dificuldade;
  • Os diálogos são engraçados e ajudam a prolongar a curta história por todas as fases;
  • Mecânica simples que ajuda os iniciantes, com espaço para ser aprimorada pelos veteranos do gênero;
  • Bastante conteúdo para desbloquear.

Contra

  • Campanhas curtas;
  • Pouca variação de cenários e inimigos comuns;
  • Cor do cenário pode mesclar com projéteis de cor semelhante.
Touhou Azure Refelections - Switch - 7.5
Revisão: João Paulo Benevides
Análise produzida com cópia digital cedida pela UNTIES

João Victor escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook