O último adeus do Wii Shop Channel: o legado deixado pelo WiiWare e pelo Virtual Console

Relembre um pouco da primeira loja virtual dos consoles da Nintendo e que foi fechada agora no último dia 30 de janeiro.

O Wii Shop Channel foi oficialmente descontinuado. Isso significa que ele não pode ser acessado em sua plenitude nem no aparelho original, nem no console virtual presente no Wii U. Como um sistema de contas generalizado não era uma realidade na Nintendo de quase quinze anos atrás, a possibilidade de compra dos games disponíveis no catálogo do aplicativo em questão se foi como lágrimas na chuva.

Sua proposta, entretanto, era singular. Enquanto as lojas virtuais dos concorrentes ofereciam games próprios exclusivos para download, bem como versões completas digitais dos próprios jogos físicos, o Wii Shop Channel surgiu já olhando para o passado. O seu diferencial inicial era oferecer jogos antigos de consoles anteriores da Nintendo por um preço módico que ficariam disponíveis para serem jogados como um canal no próprio Wii.

Apesar de já existirem algumas experiências anteriores (como a série Classic NES no Game Boy Advance), foi aqui que lucrar com produtos já consagrados anteriormente se tornou um filão. O Virtual Console, como o serviço era chamado, era o grande destaque da loja, que também oferecia outros canais paralelos, como o do navegador de internet — que começou sendo pago, mas foi disponibilizado gratuito posteriormente.


O Virtual Console e a preservação da memória

É notável como a line up de títulos do Virtual Console é tranquilamente a maior congregação de jogos retrô já produzida, algo que a Nintendo não chegou nem perto de fazer em consoles subsequentes, como é o caso dos jogos de Game Boy no 3DS, no VC do Wii U ou mesmo no aplicativo do NES do Nintendo Switch Online.

Outro grande mérito do Virtual Console do Wii, aliás, era justamente a forma como o serviço não era restrito apenas aos aparelhos da Nintendo. Além dos jogos de NES, SNES e Nintendo 64, games de TurboGrafx-16, Neo Geo, Arcade e Commodore 64 chegaram a ser disponibilizados na plataforma. Além disso, é notável como, apesar da conhecida rivalidade que ambas as empresas protagonizaram nos anos noventa, o catálogo do VC continha jogos de Master System e Genesis (conhecido no Brasil como Mega Drive), da Sega.


O Virtual Console teve alguns momentos de glória e com certeza era um dos principais serviços que o Wii poderia oferecer. Afinal, quem não se lembra das demonstrações de jogos que foram emulados em Super Smash Bros. Brawl (Wii) — game que inclusive serviu para elevar a popularidade de certos títulos menores até mesmo em sua época e que agora poderiam ser jogados novamente, como Kid Icarus (NES).

Outro grande mérito foi trazer para o ocidente, pela primeira vez, alguns jogos que antes estavam restritos apenas ao mercado japonês. O que mais se aproveitou dessa exposição foi, com certeza, Sin & Punishment (N64), localizado pela primeira vez nas Américas e disponível em inglês. Além dele, outros títulos que vieram da mesma forma foram Super Mario Bros.: The Lost Levels (NES) — o Super Mario Bros. 2 original que não foi trazido para o ocidente por ser considerado muito difícil para o público —; Battle Lorde Runner (TurboGrafx-16); Bomberman 94 (TurboGrafx-16); Castlevania: Rondo of Blood (TurboGrafx-16); Pulseman (Mega Drive); DoReMi Fantasy e Puyo Puyo 2, que chegaram ao catálogo do serviço sem tradução para o inglês.


Considerando o layout pouco convencional do Wii Remote, cuja carência de botões, mesmo com o controle na horizontal, impedia a jogabilidade plena de jogos de determinados aparelhos, como o Nintendo 64, a Nintendo também passou a produzir o Classic Controller, que seria compatível com todas as plataformas disponíveis. Além disso, o controle do GameCube também podia fazer essa função. Dessa forma, WiiMote era compatível apenas com o NES, o Master System e o TurboGrafx-16 — alguns jogos do Mega Drive e do Neo Geo também o suportavam. 

WiiWare e os jogos originais perdidos no tempo

Em 2008, ao observar a ascensão dos mercados exclusivamente digitais da PS Store e do Xbox Live Arcade, a Nintendo lançou o serviço de WiiWare, que seria focado na distribuição de games originais e contemporâneos. Dentre os primeiros lançamentos estavam My Pokémon Ranch (WiiWare) — que serviu como o Pokémon Box (GC) da quarta geração—, Dr. Mario Online RX (WiiWare) e o cativante Final Fantasy Crystal Chronicles: My Life as a King (WiiWare), que, inspirado por Animal Crossing, colocava o jogador na pele de um rei no universo Crystal Chronicles — posteriormente, seria inclusive lançada uma versão oposta a esse, chamada Final Fantasy Crystal Chronicles: My Life as a Darklord (WiiWare).


Outro potencial descoberto do WiiWare é o filão de jogos novos, mas de aparência retrô. Mega Man 9 (Multi), por exemplo, foi destaque na época de seu lançamento em 2008. A Konami também aproveitou para ressuscitar algumas de suas séries antigas e produziu versões remixadas dos jogos originais sob uma espécie de selo chamado “Rebirth”. Dessa forma Castlevania: The Adventure Rebirth (WiiWare), Gradius Rebirth (WiiWare) e Contra Rebirth (WiiWare) vieram à luz.

Alguns jogos indies também tiveram no serviço o ponto de partida em sua jornada para se tornarem os clássicos que conhecemos hoje. World of Goo (Multi), por exemplo, surgiu primeiramente no WiiWare. A Telltale Games, ainda sem o prestígio que viria com anos seguintes, lançou Strong Bad's Cool Game for Attractive People (WiiWare) na plataforma, uma série episódica baseada no web cartoon Strong Bad, popular na época. Além disso, ela foi responsável também por Tales of Monkey Island (WiiWare), que contou com cinco capítulos e serviu para ressuscitar a clássica série do gênero point and click cujo auge foi na década de noventa.

Dentre outras pérolas do serviço estão também a primeira versão de Pokémon Rumble (WiiWare) e Excitebike: World Rally (WiiWare), que serviu como uma tentativa da própria Nintendo em revitalizar a clássica franquia de motocross. Fast RMX é outra série que deu as caras primeiramente no WiiWare com Fast Racing League (WiiWare) — logo se tornando o verdadeiro sucessor espiritual de F-Zero, considerando que a própria Nintendo não aparenta ter um pingo de vontade de fazer um novo. O Club Nintendo — lembra-se dele? — também disponibilizou para seus assinantes dois títulos exclusivos: Doc Louis's Punch-Out!! (WiiWare) e Grill-Off with Ultra Hand! (WiiWare).


O principal problema do WiiWare foi o descaso da Big N em relação aos próprios serviços em rede — algo que acontece até hoje, diga-se de passagem. A infraestrutura inferior do on-line do Wii em relação aos aparelhos concorrentes era um verdadeiro empecilho nesse mercado que, apesar de estar atingindo a adolescência naquele momento, tornaria-se um dos principais pilares da indústria de games com o crescimento vertiginoso de outras plataformas, como a Steam. A Nintendo aparentemente não colocava tanta fé assim no digital.

Outro revés foi justamente a dificuldade que os próprios desenvolvedores tinham para colocar um game no serviço. Além de suportar, no máximo, arquivos de até quarenta megabytes, apenas, é notável que o processo de certificação da própria Nintendo era cheio de detalhes e minúcias que muitas vezes afastavam os interessados que viam nos consoles concorrentes uma liberdade muito maior para a concepção de suas ideias. Além disso, a Nintendo só iria repassar o pagamento das vendas para os estúdios caso um mínimo de seis mil cópias tenham sido vendidas — alguns títulos não chegavam a tal e, portanto, ficavam sem o retorno financeiro que uma versão a mais, que teoricamente expandiria o público consumidor por estar presente em mais uma plataforma, poderia render.


Canais extras e atualizações

Além dos jogos, o Wii Shop Channel também disponibilizava para download outros serviços para o aparelho, como é o caso do Mario Kart Channel, onde os jogadores poderiam baixar os tempos das corridas de outros jogadores em Mario Kart Wii. Outro canal do aparelho que poderia ser baixado era o navegador de internet. Custando inicialmente 500 pontos (o preço de um jogo de NES), ele acabou sendo posteriormente liberado para download gratuito e aqueles que já tinham feito a compra acabaram ganhando os créditos de volta para serem usados.

Além disso, alguns patches de correção e atualização de certos jogos podiam ser baixados. Military Madness (Turbografx-16), Star Fox 64 (N64), Kirby 64: The Crystal Shards (N64) receberam atualizações. Um bug de The Legend of Zelda: Skyward Sword (Wii) também poderia ser corrigido com o download da atualização disponível.


Descanse em paz, Wii Shop Channel

O Wii Shop Channel, apesar de claramente não ser perfeito, tem muitos méritos. Ele foi responsável, com o Virtual Console, por acordar a indústria para o potencial de vendas que jogos em estilo retrô teriam naquele momento, mesmo que games em perspectiva 3D já dominassem o mercado.

Ele revitalizou o velho e o tornou atrativo para novas audiências. Novos jogos nessa estética, que durante a sexta geração seria considerada ultrapassada, passaram a ser desenvolvidos e se tornaram comuns no mercado, roubando os holofotes e se mostrando uma alternativa muito mais barata e viável para os estúdios de desenvolvimento independente. Até hoje a Nintendo consegue lucrar com jogos antigos de uma forma ou de outra, como é o caso do Nintendo Switch Online ou das versões Classic Edition do NES e do SNES.

Tendo esse pontapé inicial dado pelo VC, o WiiWare acabou surgindo como consequência direta desse mercado em crescimento. É uma pena que o próprio serviço tenha falhado em acompanhar o desenvolvimento expansivo das ideias dessa nova leva de desenvolvedores. Ainda assim, alguns dos títulos como os da série Rebirth e os Final Fantasy Crystal Chronicles ficaram restritos a tal loja virtual. Agora fechada, eles se tornarão relíquia nos consoles que ainda os armazenam em suas memórias.


Apesar de ter sido encerrado oficialmente apenas nesse último dia trinta de janeiro, é notável como ele já estava sendo preparado para tal desde março do ano passado, quando foi bloqueada a compra de novos pontos que poderiam ser revertidos em compras, que poderiam ser feitas somente com os créditos adquiridos anteriormente. Hoje, o catálogo continua disponível, mas permite o download apenas daqueles games já comprados e atrelados ao console.

Tem alguma memória afetiva com algum título específico do Wii Shop Channel? Conte para a gente nos comentários. Se preferir, mate a nostalgia com a lista que o Nintendo Blast já fez com os melhores jogos do WiiWare.
Revisão: André Carvalho

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook