Dicas e Truques

Fire Emblem: Three Houses (Switch) — Dicas para aproveitar ao máximo o seu tempo em Fódlan

Listamos algumas dicas para aproveitar o seu tempo como professor como professor da Officers Academy.


Depois de mais de 10 anos sendo lançada exclusivamente nos portáteis da Nintendo, a série de RPGs estratégicos Fire Emblem teve seu lançamento no Switch com Fire Emblem: Three Houses (o anterior em um console de mesa havia sido Radiant Dawn no Wii). Com a adição de elementos de gerenciamento de tempo e a possibilidade de escolher entre três casas, cada uma com sua própria história, o título se mostra o mais expansivo da série até agora com conteúdo para centenas de horas de jogatina.

Como professor(a) na Officers Academy do Monastério de Garreg Mach, há muitas atividades disponíveis e um elenco enorme de personagens que podem fazer parte da sua turma. Para facilitar um pouco a experiência, listamos algumas dicas de como aproveitar melhor o seu tempo.

Preste atenção no calendário


A dica mais básica e fundamental para aproveitar ao máximo o seu tempo é prestar atenção nos eventos do calendário. São eles a melhor indicação para poder escolher entre as atividades no seu tempo livre.

Por exemplo, é preferível explorar o monastério em um dia em que há bônus para pescar, plantar, comer no refeitório e cantar no coral. Ou batalhar quando há missões, Paralogues (sidequests que adicionam elementos da história dos personagens da equipe) ou inimigos raros.

Tudo isso é indicado no calendário pelos ícones. Mas para entender melhor o que cada bônus representa é possível conferir os detalhes navegando pelo próprio calendário. Lá é possível, por exemplo, ver que em um dia o refeitório servirá comidas típicas do Império Adrestiano ou um festival de doces. Essas peculiaridades de cada evento ajudam a definir com mais facilidade se aquele dia é interessante ou não de acordo com os objetivos do jogador.

Visite mensalmente o monastério


Todo mês vale a pena realizar pelo menos uma visita ao monastério. Novas quests estão disponíveis, novos itens estão dispostos pelo cenário e os personagens têm novas falas baseadas no contexto atualizado da história.

As quests servem tanto para abrir novas funcionalidades inicialmente quanto para ganhar itens e renome. Os pontos de renome podem ser posteriormente convertidos em habilidades através de estátuas na catedral. Em particular, em algumas que oferecem bônus no treinamento dos personagens. A melhor parte é que, com exceção das que envolvem batalhas, todas as quests podem ser realizadas com facilidade em uma só ida.


Já em termos de itens, é possível encontrar alguns objetos perdidos pelo mapa. Cada um deles tem uma dica sobre seu dono e cabe ao jogador entregá-los. As dicas usualmente se referem a algo no perfil dos personagens (que, no caso dos personagens que estão sob sua tutela, pode ser visto no menu roster), às conversas de support ou até mesmo a elementos das famílias nobres que podem ser pesquisadas na biblioteca do monastério.

Tanto esses objetos quanto os itens da categoria gift (“presente”) são formas muito úteis de melhorar o support dos personagens, melhorando as relações entre eles. Há também uma atividade de oferecer conselhos na capela. Todas essas atividades podem ser realizadas enquanto explora o monastério e não custam Activity Points, mas são formas muito boas de se aproximar não só dos seus atuais pupilos, como também dos alunos das outras casas que, com um pouco de esforço, podem ser recrutados.

Pescando Professor Points


Uma vez liberada através de uma quest, a atividade de pescaria é muito útil e pode ser feita a qualquer momento desde que o jogador tenha iscas em seu inventário. Esse tipo de item pode ser conseguido em pontos brilhantes do monastério ou comprando em uma das lojas do monastério (desbloqueada após uma quest de batalha). Todo mês o estoque da loja é reposto, sendo interessante comprar todas as iscas possíveis na visita mensal ao monastério.

Então o jogador deve ir ao lago do monastério conversar com o responsável pelo local. Cada isca tem sua própria chance de encontrar os diferentes tipos de peixe e isso é indicado no texto. Além do tamanho (pequeno e grande), existem cores diferentes para representar peixes de grande raridade (vermelho e dourado).

Uma dica interessante nesse sentido é que não é necessário pescar na primeira mordida. Sempre é possível esperar no mínimo por três peixes (às vezes mais, mas existe a chance de fuga a partir do quarto peixe), dando ao jogador mais oportunidades de conseguir uma boa pesca.

Com os peixes, é possível realizar receitas no refeitório, que aumentam o support (nível de “amizade”) e a motivação dos personagens. Mas além deles, pescar oferece Professor Points, o que, ao atingir certos níveis, aumenta a quantidade de atividades que o jogador pode realizar (Activity Points) e o número de alunos que pode tutorar em uma semana.

Em especial, existe um evento marcado no calendário no qual é possível pescar vários peixes com uma só isca. Nele é possível conseguir muitos pontos, mas o melhor a se fazer é conquistar Professor Level alto o mais rápido possível para poder realizar ainda mais atividades. Então é importante não deixar para pescar apenas muito tarde no jogo.

Aumente o support e a motivação dos seus alunos


Entre as atividades que consomem pontos existem, a grosso modo, principalmente dois tipos: “eventos de relacionamento” e “aprimoramento pessoal”. Caso o jogador decida recrutar personagens de outras casas, gastar um tempo com as duas é fundamental.

Apesar de escolher uma casa no início do jogo e isso determinar o caminho que a história irá trilhar, é possível recrutar todos os personagens exceto os líderes de cada casa (Edelgard, Dimitri e Claude) e seus mais fiéis aliados (Hubert, Dedue e Hilda). Além dos alunos, os outros professores e cavaleiros de Seiros também podem ser recrutados em certos pontos da história.

No entanto, no caso dos estudantes, o jogador precisa demonstrar aptidão nas habilidades que eles valorizam. Cada um deles exige um parâmetro e habilidade com um determinado tipo de “equipamento”, seguindo a seguinte tabela:
Mas além desses atributos, é fundamental que o jogador aproveite seu tempo na academia para aprofundar seu relacionamento com os personagens. Além dos já mencionados presentes e objetos perdidos, uma forma de fazer isso é através de atividades que consomem Activity Points e são, portanto, mais limitadas.


É possível, por exemplo, cozinhar com um personagem. Além de aumentar o relacionamento com o personagem, a atividade também oferece buffs para as batalhas realizadas durante aquele mês de acordo com a receita utilizada.

O jogador também pode convidar o personagem para um chá, onde deve fazer escolhas de fala corretas para aumentar seu relacionamento com eles e talvez o seu Charm. Cada personagem tem suas preferências de chá, um item consumível cuja escolha adequada ao personagem já pode facilitar um resultado favorável na conversa.


Há também duas atividades em grupo para aumentar o relacionamento não apenas do professor com os outros personagens, mas também entre eles. Na capela é possível realizar um treino de canto coral que aumenta a faith dos envolvidos, um atributo relacionado a magia branca.

A outra é a alimentação no refeitório. Além de uma ótima oportunidade para se aproximar dos personagens de outras casas, ela pode ser utilizada para aumentar a motivação dos seus aliados.

Motivação é uma barra que define quantas práticas um aluno está disposto a fazer em uma sessão de tutoramento. O limite superior da barra é quatro e oferecer uma comida da qual eles gostam enche a barra ao máximo, tornando a atividade um excelente investimento.

As cinco aptidões que precisam ser ensinadas

A outra forma principal de consumir Activity Points é o treinamento do próprio professor. No monastério alguns personagens podem lecionar suas aptidões para que você aprenda. Cada pessoa só ensina apenas uma vez por visita ao monastério e, durante os ensinamentos semanais, apenas os seus alunos aprendem, deixando um potencial vácuo no aprendizado do seu personagem.

Para cobrir isso é bom utilizar os serviços desses personagens. E no caso do treinamento, existem várias potenciais escolhas e caminhos. Não só o protagonista, mas todos os membros da equipe tem a possibilidade de seguir uma variedade de classes diferentes, apesar de cada um ter suas vantagens e fraquezas.


É possível utilizar batalhas como uma forma de aprendizado também. Na dificuldade normal, existem batalhas auxiliares que podem ser feitas à vontade, ampliando consideravelmente as oportunidades de treinamento.

Em batalha, várias classes podem utilizar vários tipos de armas e, portanto, ganhar mais habilidade no seu manuseio. No entanto, existem cinco aptidões que precisam ser ensinadas fora do campo de batalha para serem utilizadas caso o personagem em questão ainda não tenha algum nível de conhecimento em suas artes.

São elas: Reason, Faith, Heavy Armor, Riding e Flying. As duas primeiras se referem ao uso de magia (negra e branca, respectivamente), já as últimas três só podem ser treinadas obtendo as suas respectivas classes. Não é necessário treinar todos os personagens em todas elas, mas saber que estas precisam ser ensinadas mais do que as armas é uma boa forma de planejar o treinamento. Especialmente se o jogador desejar alcançar uma das classes mais altas como Holy Knight, Dark Knight ou Wyvern Lord.

Monte grupos de batalha baseados em support

Durante a batalha, é importante aproveitar bem o posicionamento dos seus personagens. Uma ideia interessante é planejar sua movimentação no campo em função de pequenos grupos de support. Ou seja, equipes de aliados em tiles adjacentes que, ao atacarem e serem atacados por inimigos, podem fortalecer seus laços de relacionamento.

Com isso, fica mais fácil para o jogador focar em recrutar outros personagens para a equipe durante o seu tempo no monastério. Ou ficar mais próximo de seus aliados que deseja conhecer sua história mais a fundo.

Ao mesmo tempo, essa dica pode ser um tanto restritiva já que nem todos os personagens tem relacionamento uns com os outros e é bem possível esgotar as conversas de support entre alguns deles muito rapidamente. Logo, parcerias interessantes podem ser esgotadas rapidamente em prol do complecionismo.

Faça bom uso de retiradas estratégicas


Decidiu partir para cima de uma missão de história e seus personagens estão morrendo? Gastou todos os seus Divine Pulses para evitar jogadas ruins e mesmo assim perdeu um personagem jogando no modo Classic? Acha que seus personagens precisam só de um pouquinho mais de treinamento e conseguem vencer a batalha?

Não precisa resetar e começar novamente. No menu da batalha, existe uma opção muito útil chamada “Retreat”, que permite ao jogador voltar ao início da partida com uma vantagem: toda a experiência e habilidades aprendidas pelos personagens são mantidos. Em contrapartida, o inventário também é restaurado ao início, o que por um lado significa não ter gasto nada em combate, mas também perder qualquer item obtido na batalha.

Realize paralogues para obter as melhores armas do jogo


Entre as missões opcionais de batalha do jogo, existem algumas chamadas paralogues. Elas são, em geral, missões voltadas a se aprofundar na backstory dos personagens e é possível obter alguns itens e tropas. Algumas das melhores armas do jogo, as Hero Relics, podem ser conseguidas realizando elas.

No entanto, é bom destacar também que essas armas apresentam uma durabilidade baixa e para restaurá-las são necessários materiais de difícil acesso no jogo. Mesmo assim, vale a pena realizar essas tarefas sempre que possível.

Aproveite seu tempo do seu jeito em Fódlan


Estas dicas aqui presentes são algumas sugestões sobre como gerenciar seu tempo e aproveitar a experiência de Fire Emblem: Three Houses. Mas existem várias formas de explorar seu vasto conteúdo que certamente é o mais expansivo presente na série até hoje. O mais importante é ter em mente seus próprios objetivos e aproveitar ao máximo o seu tempo no continente de Fódlan: seja pescando, cantando ou apenas treinando seus personagens para o que o futuro aguarda deles.
Revisão: Vladimir Machado

é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.

Comentários

Google
Disqus
Facebook