"Nunca deixamos de falar com a Nintendo e convidá-los para o evento", revela CEO da BGS

Marcelo Tavares também detalhou como foi o processo para trazer a Big N para a feira depois de uma ausência de sete anos.



Após sete anos ausente da maior feira de games da América Latina, a Nintendo retornou para a Brasil Game Show (BGS) em 2019. Mesmo com o longo período distante e sem representação oficial em nosso país, a empresa jamais deixou de ser contatada pela organização do evento.“Nunca deixamos de falar com eles e convidá-los para a BGS”, revelou Marcelo Tavares, CEO da BGS, durante coletiva realizada no último domingo (13).


“Sabemos que o Brasil oferece uma burocracia grande e carga tributária elevada. Dependendo do modelo de negócios de cada companhia, pode realmente ser um pouco difícil para a empresa manter sua atividade no país. Porém, o que temos a nosso favor é a enorme paixão do brasileiro pelos games, com mais de 70 milhões de jogadores, dentre os quais há um grande número de nintendistas”, disse Tavares.

O trabalho de trazer a Nintendo para a BGS também ganhou força após pesquisa realizada em 2018 pelos organizadores do evento, em conjunto com o Datafolha. O estudo demonstrou que a maioria do público no Brasil joga em mais de uma plataforma.“Por isso, queremos uma feira cada vez mais democrática”, comentou o CEO, lembrando que o primeiro passo para esse retorno foi dado no ano passado.



“Na edição de 2018, tivemos o concurso de cosplay apoiado pela Nintendo e a presença do Charles Martinet, que era parte de todo o processo. Quando a empresa veio no último ano e viu a grandiosidade do evento, sentindo como nosso mercado estava, percebeu que realmente não poderia mais ficar de fora”, destacou Tavares.

A visita do ator responsável pelas vozes do Mario, Luigi, Wario, Waluigi, Baby Mario e Baby Luigi esteve completamente relacionada ao retorno da Nintendo à BGS. “O Charles Martinet me disse que não viu nada igual ao que temos de conteúdo e paixão do jogador. No ano passado, entre todos os convidados internacionais, ele foi o mais bem avaliado e, por isso, decidimos trazê-lo de volta. Isso mostra a importância do papel do público e é legal que o Charles e a Nintendo toparam esse retorno. Quando anunciamos ele há algum tempo, já estava tudo alinhado para que a Nintendo viesse junto”, comentou Tavares.

Ele também foi questionado se a Nintendo na BGS pode representar algum avanço para novamente termos uma representação oficial no Brasil. “A vinda deles já é uma grande influencia, todos aqui estão influenciando possíveis decisões da empresa. Agora, assim como vocês, eu estou na torcida para que ela cada vez mais invista e valorize o público brasileiro. Mas, vejo que a atual gestão, quem está cuidando da América Latina na Nintendo, está olhando com muito carinho para o nosso país. O estande aqui no evento, a Loja Nintendo e os cartões pré-pagos são iniciativas que a aproximam do público e esperamos que isso se fortaleça”, ressaltou.

É jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Diretor de Redação do Nintendo Blast.

Comentários

Google
Disqus
Facebook