Pokémon Blast

O segredo por trás dos Pokémon Míticos

Preparem-se para um experiência que vai mudar a sua visão como treinador Pokémon. E o melhor de tudo: sempre esteve lá.


 A franquia Pokémon busca inspirações em diversas culturas quando o assunto é o tema para os jogos e os lendários. As mascotes normalmente se baseiam em figuras místicas e que, de alguma forma, são importantíssimas para o roteiro e dos elementos que culminaram em sua aparição. Esse padrão começou a muito tempo atrás, lá na época do Game Boy Advance com Pokémon Ruby/Sapphire, onde a região, equipes vilãs e lendários representavam a terra e a água, tipos primários de Groudon e Kyogre.

Entretanto, não é só de Pokémon lendários que se faz uma região. Há também aqueles que se diferenciam por serem especiais, únicos. Há quem diga que todos são lendários, mas não. Existe uma diferença entre os Pokémon lendários e os Pokémon míticos. Pensando nisso, pesquisamos um pouco mais sobre esse seleto grupo e, durante o processo, encontramos um “segredo”,  que esteve à mostra esse tempo todo. Vocês conhecem aquele ditado: “Escondido em plena vista”? Pois bem, se aplica direitinho no que falaremos aqui.

Curiosos para saberem qual é o mistério? Então, faz aquele cafezinho, um pão na chapa e boa leitura a todos!

O que são Pokémon Míticos

Melloeta, Pokémon Mítico de Unova
Até a quarta geração não havia uma divisão de fato, e todos eram considerados Pokémon Lendários, ou seja, o termo "Pokémon Mítico" ainda não existia nesse universo. A partir da quinta geração, ambos os grupos passaram a ser referenciados pela mídia japonesa, a fim de promover os eventos específicos para cada um. Um detalhe importante: em Pokémon Ranger: Guardian Signs (DS), os Pokémon Míticos são classificados como Pokémon raros.

Sabemos que vocês gostam de estatísticas.  Aqui vão alguns números em relação aos Pokémon Míticos:
  • Das 893 espécies de Pokémon existentes, 20 são míticos, ou seja, 2.24% do total. Não estamos considerando o Zarude nessa conta, pois ainda não foi oficialmente lançado;
  • Cada geração acrescentou, pelo menos, um Pokémon Mítico. Porém, o número exato é 2,5 (20 dividido por 8) sem o Phione, e 2,62 (21 dividido por 8) com o Phione;
Nos jogos, pouquíssimo se fala sobre esses Pokémon durante a jornada, apenas trechos incompletos e que apresentam um ideia vaga sobre o que está sendo dito. Outro ponto importante sobre a presença desses Pokémon é o seu lançamento, que normalmente ocorre meses ou até mesmo anos após o lançamento de seu jogo de origem. Para promover a liberação desses Pokémon, a Pokémon Company costuma lançar mercadorias relacionadas aos monstrinhos, chegando inclusive nas telonas de cinemas, afinal, todos os Pokémon míticos lançados até o momento estrelam um longa da franquia.

Hoje, iremos abordar apenas oito Pokémon míticos e cada um deles possui uma característica marcante, que o distingue dos demais. Sem mais delongas, confiram agora o mistério por trás dos Pokémon Míticos.

1ª Geração - Mew

Dia 06 de Fevereiro. Mew deu à luz. É com esta icônica frase presente em um diário na Mansão Pokémon na cidade de Cinnabar que começamos nosso estudo apresentando Mew, o Pokémon Nova Espécie. Muitos não sabem, mas o Mew foi criado com base no Mewtwo com a intenção de ser uma versão menor e mais simples, ocupando assim menos espaço no cartucho dos jogos. Estranho não?

Sua aparência física lembra bastante um embrião em desenvolvimento, e por conta disso, os cientistas do universo Pokémon acreditam que de alguma forma, o Mew está ligado à todas as espécies de Pokémon que conhecemos. Outro ponto que reforça esse pensamento é a presença de todos os genes dos Pokémon no DNA do Mew, permitindo que ele aprenda todos os golpes possíveis.

Só que, há um detalhe no Mew que é marcante e o caracteriza como o primeiro Pokémon mítico. Notem que ele possui apenas uma cauda, ou seja, simbolizando a primeira geração dos monstrinhos de bolso. A partir dele, todos os Pokémon míticos que serão abordados aqui possuem um traço característico de sua geração.

2ª Geração - Celebi

O  Pokémon viajante do tempo da região de Johto foi o segundo a ser criado. O sucesso foi tanto que no Japão, a versão Crystal ganhou um Centro Pokémon diferenciado para poder receber esse Pokémon através de eventos realizados no Japão, sendo praticamente impossível de se ter aqui na América sem a ajuda de certos "tubarões". Graças ao lançamento das versões japonesas da segunda geração no Virtual Console do 3DS, após vencermos a Elite Four, podemos pegá-lo no Centro Pokémon de Goldenrod.

Fisicamente, o Celebi lembra bastante uma fada, o que remete ao seu local de encontro, a Floresta Ilex, já que as fadas são conhecidas por habitar os bosques e florestas. Inclusive, ele lembra bastante a Sininho, famosa fada dos contos de Peter Pan. Contudo, não é esse o segredo de Celebi. Além de poder viajar no tempo, há dois pontos marcantes em seu corpo: duas asas e duas antenas. Ou seja, existem duas características únicas nele e como ele é um Pokémon da segunda geração, faz todo sentido.

3ª Geração - Jirachi

Diz a lenda que o possuidor de Jirachi terá todos os seus desejos garantidos. Por conta de sua forma humanoide, há uma grande semelhança com o famoso gênio da lâmpada em conceder três desejos. Guardem bem esse número. O Pokémon dos desejos possui três características marcantes: em sua cabeça, há três pontas, cada uma com sua respectiva etiqueta. Em sua barriga, há um “terceiro olho” conhecido como “O Olho Verdadeiro”, que absorve a energia necessária para que ele possa acordar por sete dias a cada mil anos.

Agora, vejam que ele possui três características marcantes: as pontas, as etiquetas e os olhos, e como o Jirachi é um Pokémon da terceira geração, combina perfeitamente.

4ª Geração - Manaphy

Chegamos em Sinnoh, lar do grandioso Arceus, o criador do universo Pokémon. Um universo tão vasto que permite os Pokémon habitarem a terra, a água,  dimensões paralelas e onde mais imaginarmos. Cada Pokémon lendário é o guardião de um ponto específico desse universo. Porém, em Sinnoh, temos um Pokémon Mítico como guardião dos mares e oceanos. Isso mesmo, não é o Kyogre. Conhecido como o príncipe dos mares, Manaphy é integrante dos guardiões ao lado de Phione, um Pokémon gerado a partir do cruzamento de um Manaphy com um Ditto. Por conta disso, é o único Pokémon Mítico capaz de tal feito.

A marca registrada do Manaphy que o define como um Pokémon da quarta geração são suas sobrancelhas: percebam que acima de cada olho, há duas bolinhas amarelas. Como ele possui dois olhos, 2+2 = 4, geração essa que é a casa do Manaphy.

5ª Geração - Victini

Símbolo da vitória, o Victini possui a fama de conceder a vitória para aquele que compartilha sua companhia. Na região de Unova, pouco se sabe sobre esse Pokémon, que curiosamente foi registrado na Pokédex antes do primeiro Pokémon, Snivy, se tornando o primeiro e único mítico até o momento com esta característica.

Para explicarmos a marca registrada do Victini, voltaremos um pouco no tempo,  na época em que Roma era um império. Acredito que todos aqui se lembram das aulas de história e  matemática (sim, aqui é tudo interdisciplinar), onde nos foram apresentados os algarismos romanos, compostos pelas letras I, V, X, L, C, D e M, cada uma simbolizando um número. Como podem ver, há sete símbolos, contudo, não há somente sete números. Para isso, precisamos combiná-los a fim de obtermos o número desejado (lembrou das continhas na aula de matemática, né?). Dentre os algarismos romanos, há um que se destaca em relação ao Victini e sua geração.

O número 1 para os romanos era representado pela letra I maiúscula. Até o número 3, tínhamos uma sequência de Is, ou III. Agora, quando chegamos no 4 era o 5 menos 1, ou seja, IV. Opa, pera aí. Percebam que o 5 é representado pela letra V? Captaram a mensagem? Desta vez, a letra V é de vitória. Letra V que representa o número 5, geração da qual pertence o Victini.

6ª Geração - Diancie

A região de Kalos foi a que menos trouxe novos Pokémon, mas isso não significa que aqueles que chegaram são simples ou inspirados em Pokémon já existentes. Um deles inclusive recebeu uma mega-evolução e é o único Pokémon mítico capaz de tal feito. Estamos falando da Diancie, o Pokémon Jóia. Intencional ou não, seu número na Pokédex Nacional é #719 e se subtrairmos 7-1 = 6, somando 6+9 = 15 e se somarmos 1+5 = 6, temos a geração da Diancie.


Claro que é apenas uma teoria, não que efetivamente seja isso mas, quem sabe?
Porém, o ponto chave da Diancie são os seis cristais presentes em sua cabeça, lembrando a coroa de uma realeza.  A forma física da Diancie lembra muito uma princesa cheia de jóias,  por conta da França, país utilizado como base para o enredo dessa história, uma monarquia no passado, composta por reis, rainhas, príncipes e princesas.

7ª Geração - Magearna

Criada por um cientista a mais de 500 anos, o que justifica seu tipo STEEL, a Magearna possui no centro de seu corpo o Soul-Heart (que tem o mesmo padrão de cores dos controles do Nintendo Switch), capaz de curar Pokémon necessitados.

Reparem bem no rosto da Magearna. Nele, notem que há uma engrenagem em volta de sua cabeça com, adivinhem, sete dentes. Em qual geração ela foi lançada? Não precisamos nem dizer né? Vejam como detalhes, bem pequenos, que passam despercebidos pela grande maioria dos jogadores, podem representar tão bem elementos que os tornam ainda mais únicos em relação aos demais Pokémon míticos.

Com a chegada do Pokémon HOME, podemos ver a forma shiny de Magearna, toda colorida, vívida, bem diferente do cinza chumbo que conhecemos. Esta forma está disponível para visualização após completarmos a Pokédex no Pokémon HOME, portanto, subam as mangas e catch'em all!

8ª Geração - Zarude

Pouco se sabe sobre Zarude, o Pokémon mítico de Galar. Porém, seu segredo já foi revelado apenas por sua silhueta. Percebam que ele possui quatro argolas em cada braço e quatro pontas em seu “cabelo”. Ao somarmos 4+4 temos 8, geração da qual pertence este novo Pokémon.

Mesmo tendo sido revelado hoje, este Pokémon conta com duas características marcantes  que o define não só como um Pokémon mítico como também o mais novo integrante do universo Pokémon.

Eu particularmente gostei do visual, e vocês?
Surpresos com essas características dos Pokémon Míticos? Não tinham imaginado que seria possível ter esse tipo de detalhe escondido nos Pokémon? Qual deles é o mais interessante? Qual deles é o que menos chama atenção? Se vocês pudessem criar um Pokémon mítico da nona geração , qual seria a característica marcante dele?
Referências: Bulbapedia
Revisão: Felipe Franco

Fã de carteirinha dos monstrinhos de bolso desde os oito anos de idade, teve seu primeiro contato com a franquia no Game Boy Color e desde então, são mais de 20 anos de alegria. Fanático por vídeo-games, gostaria de poder jogar mais tempo do que trabalha. Também, quem mandou trabalhar com TI? Começou a tomar gosto por escrever quando estava caçando notícias sobre jogos da Nintendo e por acaso, acessou um tal de Nintendo Blast. Enquanto não está escrevendo, pode ser encontrado pela região de Sinnoh, torcendo por um remake dessa geração, que é a melhor de todas.

Comentários

Google
Disqus
Facebook