Game Music

As belezas melódicas de Yoshi's Woolly World (Wii U)

Fechamos os olhos para os belíssimos visuais de lã para ouvir a beleza sonora de Yoshi’s Woolly World, umas das trilhas mais carismáticas do Wii U.

Difícil não se encantar com os visuais de lã de Yoshi’s Woolly World, última aventura de Yoshi no Wii U. O jogo parece ter sido realmente costurado com o cuidado de uma artesã dos fios, tamanha realidade dos objetos e cenários recriados pelo time responsável pelo interessante Kirby Epic Yarn (Wii). Mas hoje, tentamos fugir um pouco desse encanto visual para ouvir as canções que ecoam desse mundo virtual cheio de vida, produzido por Tomoya Tomita e Misaki Asada.

Embalando grandes jornadas

Iniciada há 20 anos com Super Mario World 2: Yoshi’s Island, a franquia solo do dinossaurinho verde ajudante do Mario é marcada pela originalidade, carisma e diversão descontraída, embalados, quase sempre, por belos visuais e cenários repletos de detalhes e vida. Mas tão importante quanto os visuais é sua trilha sonora. É nos arranjos exóticos, harmoniosos e melódicos que se esconde boa parte da magia que faz da série de Yoshi tão especial.

Em Yoshi’s Island, por exemplo, temos a bonita canção inicial chamada Story Music Box, na qual somos levados a sonhar com um mundo de fantasia através de uma melodia que bem lembra as tradicionais cantigas de ninar e caixinhas de música — daquelas com uma bailarina deslizando graciosamente enquanto as notas soam devagar, sem pressa. Outra música marcante desse título é o tema principal do jogo, também chamado Yoshi's Island, em que ouvimos uma flauta indígena ditar a melodia, acompanhada de batuques leves, trazendo a sensação de um mundo selvagem, mas amigável.

A atmosfera selvagem, exótica e mágica segue sendo característica da trilha sonora de todos os jogos seguintes da série. Em Yoshi’s Story, por exemplo, temos duas belas canções que retratam esse clima cativante e diferente. Em Yoshi’s Story, canção inicial do jogo, temos um coral de Yoshis cantarolando a melodia principal enquanto flautas, tambores e outros instrumentos-base fazem o acompanhamento. Em Yoshi's Song, temos instrumentos de sopro, como sax, dividindo o arranjo com pianos e tambores agudos, ditando um ritmo de passeio no parque — sempre fico me imaginando caminhando e assoviando por entre árvores e animais enquanto ouço essa canção.

Os ritmos selvagens e melódicos, misturando instrumentos de sopro, percussão e de corda seguem nos títulos seguintes. Mas é justamente a base formada nos dois primeiros títulos da série que mais estão presentes na última grande aventura de Yoshi.

Uma bela viagem por gêneros

Seguindo a tradição de belas canções, Yoshi’s Woolly World traz o que de melhor foi feito até agora na série, através de diferentes gêneros e musicalidades, sem perder os aspectos que consagraram os títulos anteriores. Logo na canção inicial, Yarn Yoshi Takes Shape!, temos uma divertida melodia com sons de flauta, violão, baixo e piano, que faz qualquer um sair assoviando com poucos minutos de audição.

Um pouco mais agitada e com muito mais ritmo e batuque, Bounceabout Woods traz uma atmosfera de exploração selvagem ao jogo, compondo o som com uma série de ritmos compassados e guiados pela tradicional flauta. Já Sponge Cave Spelunking é a representação da exploração mais calma, representando o desconhecido com sintetizadores. Mais melódica e suave, Knitty Knotty Windmill é um deleite para ouvir enquanto descansa entre uma partida e outra.

No clima de harmonias inspiradoras, temos a pop Shy But Deadly com bateria marcante e teclados tomando conta da harmonia. Clawdaddy Beach, por sua vez, traz para o jogo os bongos na percussão enquanto violão e pianos ditam a melodia. Menos pop, mas mais voltada para o Jazz, temos Across the Fluttering Dunes com sequências de violão havaianos bem interessantes enquanto o baixo e bateria fazem o ritmo.

A diversidade da trilha sonora é o ponto forte da série e desse jogo. Temos diversos ritmos, instrumentos e melodias. Em Spiky Stroll uma base simples segura as pontas para uma flauta indígena ditar a melodia. Mas nem só de calmaria é feita a trilha de Woolly World. Lava Scarves and Red Hot Blargss é um bom e velho rock, cheio de solos de guitarra distorcida, bateria alucinante e baixo marcante. Já The Desert Pyramid Beckons abusa de instrumentos indianos para criar aquele clima de deserto característico dos jogos de Mario. Por sua vez, Yoshi and Cookies parece ter saído direto de um jogo do Kirby, com seus sons angelicais.

Os mais diferentes gêneros se misturam em Woolly World. Em Fluffin' Puffin Babysitting, temos um inicio Folk que logo ganha ritmos mais pop. A-Mazing Post Pounding é um R&B moderno, cheio de efeitos sonoros robóticos. Monkeying Round and Round é o ritmo das selvas, com tambores e flautas. E claro que não podia faltar as clássicas canções dos castelos cheios de fantasmas e das fases de neve. Em Woolly World elas são Spooky Scraps! Don't Get Spooked! e A Little Light Snowfall, respectivamente.

Mágicas melodias

São mais de 60 músicas inéditas compostas por Tomoya Tomita e Misaki Asada que traduzem a magia e o encanto de Yoshi’s Woolly World. Obviamente não poderia falar de todas aqui, mas destaquei as que mais me marcaram durante a aventura que fiz ao lado de Yoshi e seus amigos de lã. Contudo, deixei as duas melhores para o final. São elas que melhor transmitem o verdadeiro sentimento do jogo.

Primeiro: Title Screen. A canção que primeiro ouvimos no jogo é uma linda harmonia de violões. Cheguei a passar vários minutos apenas ouvindo o dedilhar dessa melodia. O som é tão orgânico que é possível ouvir o arranhar dos dedos enquanto o músico troca de nota no violão. Parece que ela está sendo tocada ali, do seu lado. Ouvindo ela, penso em sair com os amigos, desbravando desbravando e explorando lugares desconhecidos.

Por fim, Welcome to Yoshi's Woolly World!. A mistura de instrumentos é um belo resumo de Yoshi’s Woolly World, com seus mundos gigantes, visuais instigantes e lugares para explorar, e desafios para enfrentar. Com ela eu consigo relembrar cada passagem, cada amigo e inimigo encontrados ao longo do jogo. Por mais que seja uma canção de boas-vindas, ela me passa um sentimento de saudade. Saudade de uma história amigável e divertida. Assim como é Yoshi’s Woolly World.

Essa matéria foi possível graças a Big Boy Games, que gentilmente nos cedeu uma cópia de Yoshi's Wooly World. Para adquiri-lo, visite a página do jogo na loja!



Revisão: Luigi Santana
Capa: Felipe Fabricio
Ítalo Chianca escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais