Perfil

Uma tartaruga? Um dinossauro? Não: é o Koopa Troopa, o mais clássico inimigo da série Mario

Quando alguém fala em um "jogo do Mario ", no que você pensa? Na minha cabeça, pelo menos, logo vem a imagem de um sujeito bi... (por Thiago Pires em 20/07/2013, via Nintendo Blast)


Quando alguém fala em um "jogo do Mario", no que você pensa? Na minha cabeça, pelo menos, logo vem a imagem de um sujeito bigodudo vestido de vermelho pulando em criaturas semelhantes a tartarugas antropomórficas. E são exatamente essas criaturas, dentre tantas outras, as maiores responsáveis pelo carisma e diversão dos jogos do encanador. Responda com sinceridade: a franquia Mario seria tão legal se você não pudesse pular sobre as cabeças dos Koopa Troopas?

Perfil de uma tartaruga

Koopa Troopa dançando
com seus sapatos novos.
Inimigo presente na franquia desde o primeiro Super Mario Bros., para NES, o Koopa Troopa possui uma grande semelhança com os jabutis do mundo real. Inclusive, em suas primeiras aparições, ele realmente andava com as quatro patas apoiadas no chão, indicando uma criatura completamente animalesca e selvagem, apesar da lealdade ao rei dos Koopas, Bowser. Pular sobre sua cabeça o fazia virar de costas para o chão, e ele nunca saía de seu casco.

A partir de Super Mario World, no entanto, eles começaram a caminhar com postura ereta, erguendo-se em apenas duas patas, utilizando, inclusive, calçados nos pés, mostrando um comportamento muito mais civilizado que nos jogos anteriores. Em Paper Mario uma colônia destes seres é encontrada por Mario em Koopa Village e, após resolver um problema com alguns Fuzzies, Kooper resolve se aliar aos heróis. A partir daí o mais comum era que, ao ser acertado, o Koopa fosse expulso de seu casco, tornando-o um Koopa "descascado".

Tartaruga ou dinossauro?
Biologicamente falando, um Koopa Troopa está mais próximo dos dinossauros que dos répteis de hoje em dia. Isso porque a principal característica que diferencia os monstruosos animais que um dia reinaram sobre a Terra é o fato de que, mesmo aqueles que andavam sobre quatro patas, conseguiam manter a barriga longe do chão. A maioria, senão todos os répteis modernos se locomove arrastando o tronco, utilizando-o como apoio.

Além disso, os Koopa Troopas possuem uma enormidade de variações, quase tão grande quanto os power-ups de Mario. Para começar, é possível encontrá-los em cores diversas, sendo as mais comuns verde e vermelho. A diferença entre essas é que o verde continua andando, não importa o que aconteça (um precipício não parece obstáculo para ele), enquanto o vermelho parece patrulhar uma área específica.


Dentre as variações
mais comuns destaca-se
o Paratroopa.
Já os Koopas amarelos e azuis, exclusivos de Super Mario World, agem de uma maneira única, ainda que parecida com os anteriores. Um Koopa azul age como um vermelho mais rápido, mas a diferença está no Koopa descascado: ao invés de pular para dentro do seu casco, quando ele encontra um casco de Koopa Troopa dá um chute, exatamente como fazem os encanadores. Já um Koopa amarelo age como um verde mais rápido e deixa cair uma moeda quando leva um golpe. Mas se o Koopa descascado reencontra seu casco amarelo, ele se transforma em um Koopa Kamikaze, brilhando nas quatro cores e perseguindo Mario até os confins do universo.

Outras variações incluem aqueles Koopa Troopas que parecem ter roubado um item dos encanadores, como o Super Koopa, relativo à Pena da Capa, ou o Irmão de Fogo, relativo à Flor de Fogo. Há ainda o Irmão Martelo e o Irmão Bumerangue, e até o Paratroopa. Alguns destes Troopas fornecem a Mario um power-up novinho em folha, como é o caso do Super Koopa ou do único Koopa Troopa azul a aparecer em New Super Mario Bros., em um estágio multijogador, que concede o Casco Azul.

Shellcreeper e os irmãos Mario
Quem já teve a oportunidade de jogar o original Mario Bros., para arcade, sabe que o game contava com uma tartaruga um pouco diferente. O Shellcreeper, antecessor espiritual dos Koopa Troopas, não podia ser abatido por um pulo, já que isso faria Mario ou Luigi perderem uma vida. Ao invés disso, era necessário acertá-lo por baixo, fazendo-o virar e, depois, chutar seu casco. Para evitar a confusão, o Shellcreeper foi substituído pelo Spiny nos remakes do clássico, já que o efeito prático de ambos é o mesmo.

De tenista e corredor de kart...

Koopa e Paratroopa
em Mario Kart: Double Dash!!
É claro que um inimigo tão clássico e versátil não poderia deixar de, assim como o bigodudo que dá nome à franquia, participar dos inúmeros spin-offs. E tudo começou em Super Mario Kart, quando um Koopa Troopa verde usava os cascos de seus irmãos para abater os demais corredores e tentar chegar em primeiro lugar na disputa mais acirrada do mundo dos games.

Ausente da farra em Mario Kart 64, ele volta em Mario Kart: Double Dash!! com um Paratroopa como parceiro e os cascos triplos como item especial. Em Mario Kart Wii, ele conta com um bônus no Mini-Turbo, e em Mario Kart 7 ele tem a aceleração e o off-road como seus maiores trunfos, sendo um corredor classe pena. Sua participação também já foi confirmada para Mario Kart 8.

Já no campo do tênis, Koopa Troopa esteve presente em Mario's Tennis, lançado para o falecido Virtual Boy, mas também em Mario Power Tennis, no qual conta com a Water Bomb como movimento ofensivo, forçando os personagens a se aproximarem da rede, e com a Water Shell Dash como movimento defensivo, no qual ele entra em seu casco e viaja até a bola, para rebatê-la.

Troopa na telona
Você já assistiu ao filme de Super Mario Bros.? O "clássico" trouxe uma adaptação muito estranha do mundo de Mario, além de criaturas deformadas aos quais chamaram de Goombas. No entanto, no início da produção, tais personagens eram classificados como "Koopa's Troopas".

 Jogos em que participou

Praticamente todos da franquia Mario, seja como inimigo, aliado, personagem jogável, figurante ou apenas referência, como no caso dos cascos em algumas edições de Mario Kart e Super Smash Bros.

Revisão: Bruna Lima
Capa: Diego Migueis
Thiago Pires é apaixonado por música e games, ex-graduando em Regência Coral na UFRJ, hoje trabalha como Auxiliar de Escritório, Chefe de Suporte, Gerente de TI, Diretor de Música e Trocador de Lâmpadas, além de escrever para o Nintendo Blast.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook