Quatro anos de um sucesso: relembre a trajetória do Nintendo 3DS

Mesmo após quatro anos desde seu lançamento, o Nintendo 3DS continua sendo um ótimo console portátil, com muita diversão a oferecer.

Anunciado durante a E3 em junho de 2010, o Nintendo 3DS foi lançado no dia 26 de fevereiro de 2011 no Japão. Completando hoje seus quatro anos de vida, pode-se dizer que o portátil se tornou o melhor amigo de muitos jogadores que sempre fazem questão de levá-lo a todos os lugares, a fim de fazer um StreetPass aleatório pelo caminho ou até mesmo passar o tempo enquanto aguarda em uma fila. Com uma vasta biblioteca de jogos já lançados e outros que ainda estão a caminho, o 3DS se tornou um dos maiores sucessos da Nintendo.

Esse foi um dos pioneiros da família 3DS.

Reduzindo o preço é que se vende mais

Diferentemente de projetos anteriores da Nintendo, o sucesso do 3DS não foi imediato. Os índices de venda estavam bem abaixo do esperado nos primeiros meses de vida do console, principalmente por não ter sido lançado com nenhum título de expressão. Esse fato fez com que a Nintendo sugerisse uma alteração no preço oficial do portátil, passando de US$ 249,99 para US$ 169,99.



Com isso, a Big N criou o programa de Embaixadores do Nintendo 3DS, que foi uma forma de demonstrar que ela se importava com os jogadores que haviam comprado o console no lançamento. O programa consistiu em fornecer vinte jogos de NES e Game Boy Advance por Virtual Console para esses jogadores, como uma forma de remediar o fato de terem feito essa redução do preço oficial sem que ninguém saísse tão prejudicado.
Vários jogos de GBA para os que compraram primeiro!

Em constante evolução

Depois de um começo fraco, existe a certeza de que hoje o grande sucesso do Nintendo 3DS se deu por conta dos incríveis jogos lançados para o portátil ao longo desses anos. Um dos mais impressionantes foi, sem dúvidas, Super Mario 3D Land, que, ao ser lançado no final de 2011, explorou os efeitos 3D do portátil como nenhum outro título havia feito, mostrando a verdadeira capacidade do console de permitir que o jogador visualizasse a tela em três dimensões sem a ajuda de um óculos especial.

As principais franquias da Nintendo, como Mario Kart, Pokémon, The Legend of Zelda e Donkey Kong estão presentes nos títulos do vasto acervo de jogos do  3DS e muitos outros jogos de outras desenvolvedoras também, como Resident Evil Revelations e Theatrhythm Final Fantasy: Curtain Call. Uma coisa que não falta para o console é o que jogar; além de títulos inéditos, o Virtual Console traz ao jogador ainda mais experiências épicas com os bons tempos da Nintendo.
Esse jogo fica muito lindo em 3D.

Interação social na medida certa

A Nintendo sempre teve a capacidade de fazer jogos e portáteis que permitissem grande interação social entre seus usuários, principalmente através de partidas multiplayer presenciais. Um bom exemplo disso é Pokémon, que desde o Game Boy Color conta com diversas Ligas e jogadores competitivos que se reuniam para jogar.
Os velhos tempos...
Ao longo do tempo essa realidade foi se tornando cada vez mais concreta e o 3DS mostra a consolidação desse efeito com toda a interatividade criada através do recurso de rede wireless do próprio console e do StreetPass. A maioria dos jogos, além de permitir partidas multiplayer, também possui recursos especiais que são ativados quando o jogador passa por outro jogador portando um 3DS na rua.
Esperamos que você tenha muitos jogadores por perto...
Além disso, uma conexão com a internet mais estável do que a vista no seu antecessor, Nintendo DSi, propiciou que muitos jogos pudessem ser aproveitados à distância através de uma rede Wi-Fi. Esse atributo é fundamental para o funcionamento de vários jogos, como é o caso de Animal Crossing: New Leaf, que realmente faz com que o jogador queira se relacionar com outras pessoas que possuem o mesmo jogo para trocar itens, vender frutas e se divertir cada um na cidade do outro sem grandes problemas. E isso não é tudo, ter uma boa conexão com a internet também fez com que se expandissem os campeonatos online, um ponto altíssimo dessa geração.
É graças à melhoria no quesito de conectividade que pudemos realizar eventos como o Pokémon Day deste ano!

Retrocompatibilidade com os jogos de DS

É relativamente comum, por parte da Nintendo, permitir que os jogos da geração anterior sejam compatíveis com a atual geração dela, principalmente como o que ocorreu com a família do Game Boy. Com o Nintendo 3DS não foi diferente e os jogos do DS funcionam perfeitamente no console, o que agregou bastante em termos de biblioteca de jogos, principalmente no início da geração.
Uma outra questão interessante quanto a esse aspecto foi a continuidade do Download Play, no qual é possível compartilhar um jogo com alguém que não possui o mesmo através de partidas multiplayer. Já presente no DS, o recurso manteve o mesmo padrão para o 3DS, com a vantagem de permitir que fosse realizado não só com os jogos do novo console mas também com os jogos de seu irmão mais velho.

Uma inovação chamada eShop

A eShop foi uma das ferramentas que trouxeram a Nintendo para o mesmo patamar das suas principais concorrentes, Sony e Microsoft. Detentoras da PSN e Live, respectivamente, as concorrentes da Big N foram as primeiras a possuírem um serviço de compra de jogos e aplicativos digitais em consoles. A criação da eShop em junho de 2011 foi fundamental para emplacar de vez o 3DS e dar um maior conforto aos jogadores que preferem ter seus jogos em mídias digitais.
Além disso, a loja virtual também disponibiliza vídeos e versões de demonstração de alguns jogos, fator que pode determinar se um jogador irá adquirir um jogo futuramente ou não. Uma das desvantagens que a eShop brasileira ainda não superou é que, além de não estar disponível para o Wii U e assim não poder estabelecer uma conexão entre as duas contas, ela ainda não aceita todos os cartões de créditos internacionais brasileiros. E mais, não disponibiliza títulos de SNES em seu Virtual Console para o 3DS.

Nem tudo são flores e cogumelos

Uma das propagandas na época do lançamento do Nintendo 3DS foi a sua câmera fotográfica que permitiria fazer fotos em 3D. Apesar da existência de tal recurso, infelizmente, ainda não há outro meio para visualizá-las a não ser através do próprio console e sua resolução também não é das melhores.

Pegando carona na câmera, vieram os AR Cards, que também não vingaram. Apesar de parecerem legais, após os primeiros dez minutos de uso você sente que nunca mais irá jogar com eles novamente. O único jogo que tentou fazer uso deles em outro momento foi Kid Icarus: Uprising, que acompanhava seis cartas sortidas em um universo de mais de 400 distribuídas nos jogos que serviam apenas para fornecer alguns corações na primeira vez que fossem usadas, além de estátuas dos personagens que ilustravam as cartas. A ideia de usar a realidade aumentada através da tela foi boa, mas a prática pereceu.
Bonitos, mas quase inúteis.
Esses dois fatos negativos não foram tão relevantes quanto a maior reclamação de todos os jogadores de Nintendo 3DS: a dificuldade de se adicionar alguém como amigo. Diferentemente de outras plataformas que possuem sistema online e amigos, os chamados “Friend Codes” são uma verdadeira dor de cabeça para os jogadores. Ter que decorar uma sequência de 12 números para passar para um amigo e ele fazer o mesmo com você não é nem um pouco prático.

Ao longo desses anos não houve melhoras quanto a isso e o sistema continua basicamente o mesmo de quando começou. Em alguns jogos, há a opção de se adicionar antes ou após cada partida multiplayer. Mas nos jogos da franquia Pokémon, por exemplo, apenas uma batalha ou uma troca não são o suficiente para liberar essa alternativa.

Uma breve passada pelos redesigns

Como de costume, a Nintendo não ficou satisfeita em lançar apenas uma versão do console e em julho de 2012 lançou o Nintendo 3DS XL, que possui uma tela 90% maior que nosso aniversariante e uma pequena melhora no rendimento da bateria. Em outubro de 2013, foi a vez da Big N nos introduzir ao Nintendo 2DS, que tem como diferencial não possuir o efeito 3D e ter saída de som mono, que se torna estéreo com o uso de fones de ouvido, além de possuir um design que não permite que o console seja “fechado” como nos dois modelos anteriores. Mesmo assim, o console é bastante interessante para os que não estão pensando em investir muito dinheiro e também para crianças, por ser o mais resistente da família.
Vários modelos para atender a todas as necessidades dos jogadores!
Mais recentemente, em agosto do ano passado, a Nintendo anunciou os mais novos integrantes dessa família, o New Nintendo 3DS e o New Nintendo 3DS XL. Ambos foram lançados no Japão em outubro de 2014, sendo que apenas a versão XL estava prevista para ser lançada nas Américas, o que ocorreu no último dia 13 de fevereiro. Das diferenças para as versões anteriores, além de uma melhoria de processamento e no efeito 3D, houve a inclusão de novos botões traseiros e um novo direcional, e o principal, a compatibilidade com a tecnologia NFC com o uso dos amiibo.
Os mais novos membros da família!

Expectativas para o futuro

Quantos anos mais será que o Nintendo 3DS tem pela frente antes de ser aposentado de vez? Será que a tendência agora será de lançarem apenas títulos exclusivos para o New Nintendo 3DS, como é o caso do Xenoblade Chronicles? Vamos ter que aguardar os próximos passos da Nintendo para descobrir todas essas respostas. Até lá, ainda temos muitos jogos para aproveitar e relembrar, pois com certeza o 3DS continuará fazendo história para todos os nintendistas.
Desejamos a vocês ótimos momentos com seus portáteis e amigos!
Feliz aniversário, Nintendo 3DS!
Colaboração: Robson Júnior
Revisão: Luigi Santana
Capa: Felipe Araujo
Ana Krishna Peixoto é graduanda em Ciências Econômicas pela UERJ. No Blast, é Social Media e Redatora. Suas paixões são os livros, a escrita e os videogames. Fã de PlayStation, não nega sua queda pela Nintendo. Pode ser encontrada no Facebook e no Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais