De coadjuvantes a heróis: a vez dos "secundários" da série Mario brilharem

Mario é o nosso grande herói, mas a sua turma está cheia de personagens com potencial para protagonizar seus próprios jogos, bora relembrar alguns deles?





Luigi’s Mansion 3 (Switch) está a todo vapor prestes a assustar a todos no final de outubro. O game é o terceiro título de uma curta série que colocou o irmão longilíneo de Mario nos holofotes. E aproveitando o ensejo, resolvemos relembrar alguns games protagonizados por personagens que geralmente desempenham papéis secundários, até mesmo terciários, na franquia Super Mario.


Antes de começarmos, é bom lembrar que Mario não foi, necessariamente, protagonista de seu título de estreia; Donkey Kong (Arcade), lançado em 1981, é o jogo do macacão e não do nosso amado encanador, por mais que ele seja o mocinho. Apesar de percebermos que o herói/protagonista do jogo não necessariamente dá nome ao game - como vemos em Donkey Kong - vamos levar em conta aqui o protagonismo desses personagens em seus próprios jogos, beleza?

Luigi’s Mansion (NGC)

Você sabia que essa não foi a estréia de Luigi como herói de um jogo? Na verdade, sua estréia foi em Mario’s Missing (NES), jogo no qual Mario acaba sendo raptado por Bowser e seus subordinados enquanto tentava deter a destruição das calotas polares da Antártida por eles. Esse game acabou não sendo muito famoso em sua época, nem muito conhecido atualmente, e, como já foi dito antes, Mario ainda é o personagem-título, mesmo Luigi sendo o herói do dia.


Além dele há o Luigi’s Hammer Toss, jogo lançado para o Nelsonic Game Watch, um relógio que você podia jogar um minigame que já vinha embutido, demais, né? O game mais parecia um dos jogos do Game & Watch, no qual Luigi não podia deixar um martelo cair no chão. O mais legal é que o game iniciava com o tema de La Cucaracha.

De qualquer forma, seria impossível não começar falando dessa série que já está aí batendo à nossa porta de tão iminente que é o seu lançamento para o console híbrido. Iniciada em 2001, a série foi a estreia de Luigi como protagonista de uma aventura solo, além de ter sido o game de lançamento do GameCube.


Para aqueles que não estão familiarizados com a série, os games consistem em aventuras nas quais Luigi, o amedrontado irmão de Mario, se envereda em mansões mal-assombradas e deve desassombrá-las com o seu poderoso aspirador de pó, criação do cientista (um pouco maluco) Professor E. Gadd, que é responsável também pela F.L.U.D.D. e pelo pincel mágico de Bowser Jr, de Super Mario Sunshine (NGC).

Apesar de ter sido o segundo personagem em diversos jogos, Luigi nunca havia tido um game para chamar de seu, isso tudo mudou em 2001 e desde então ele chegou até mesmo a ser celebrado em 2013 no Year of Luigi (Ano do Luigi) que celebrou os 30 anos de estreia do encanador verde no clássico Mario Bros. (Arcade). Quem diria que Luigi sairia de aspirar por aventuras em seu diário secreto em Paper Mario (N64) para se tornar protagonista, não é mesmo?

Capitain Toad: Treasure Tracker (Wii U)

Outro que teve a sua estreia como herói há muito tempo. Apesar dos Toads serem vários, sabemos que há alguns que se despontam dentro dos jogos da franquia Mario. O mais famoso é o Toad de camisa azul e cabeça vermelha, que é o herói do game Wario’s Woods (NES), jogo que nos apresentou Wario, ainda como vilão.

Além desse game, também temos Kinopio Live (SNES) - algo que se traduziria como Toad Live - jogo que põe Toad para cantar músicas famosas por 10 segundos e o jogador deve descobrir quem é o artista que a canta. Apesar de ser o game no qual Toad é o protagonista e personagem-título, o game é praticamente desconhecido do grande público e só foi lançado no Japão. Porém, depois de muitos anos em corridas de kart, tênis e estrelas coletadas, os Toad tiveram a sua primeira aventura solo.


Apresentado em Super Mario Galaxy (Wii) como líder da Brigada dos Toads, equipe que viajou no espaço para acompanhar Mario em sua jornada espacial, o capitão estreou como personagem jogável em Super Mario 3D World (Wii U) em um minigame que inspirou o título aqui apresentado.

Dessa vez o destemido capitão, acompanhado de Toadette, segue em busca das famosas estrelas, que são capturadas pela ave gigante chamada Wingo. O jogo leva os moldes do minigame Captain Toad's Adventures, porém com fases maiores e mais elaboradas. O game até mesmo ganhou dois ports para o Switch e 3DS.

Super Princess Peach (NDS)

Assim como Luigi, a nossa amada princesa também teve o seu primeiro game solo no pioneiro relógio Nelsonic Game Watch. Nesse jogo, Peach, que ainda se chama Princess Toadstool, deve desviar dos obstáculos à sua frente para chegar em seu castelo.


Em 2005 o mundo foi agraciado com a primeira aventura da Princesa no papel de heroína. Depois de Mario, Luigi e diversos Toads sendo capturados em um ataque de Bowser no qual Peach não virou refém milagrosamente, a princesa se une a Parry, uma sombrinha poderosa, para salvar seus amigos.

Apesar de ser um tanto simplório e até mesmo fácil demais se comparados com toda a série Mario, o game é muito querido pelos fãs da princesa e segue sendo o filho único do que poderia ter se tornado uma série. Uma pena que o jogo não tenha dado tantos frutos como Luigi’s Mansion deu. Mas quem sabe em um futuro próximo, né? Não custa sonhar...

Wario Land: Super Mario Land 3

O eterno rival de Mario teve a sua estreia como inimigo do encanador em Super Mario Land 2: 6 Golden Coins (GB), no qual ele roubava o castelo do Mario para si. Depois de ser derrotado, Wario, sempre ambicioso, busca roubar uma estatueta de ouro da então Princesa Toadstool de um grupo de piratas chamados Brown Sugar Pirates e da capitã Syrup, para poder construir o seu próprio castelo.


O game criou a mecânica de finais diferentes dependendo do número de moedas coletadas ao longo da jogatina, mecânica essa implementada no primeiro Luigi’s Mansion. O jogo é, também, o começo da série Wario Land, que seguiu principalmente na família Game Boy até ter o seu lançamento mais recente em 2008 no Wii, com Wario Land: Shake It.

Além disso, Wario também possui o spin-off WarioWare, uma longeva e engraçada série que põe o anti-herói em aventuras mais simplórias, bem distante do Reino dos Cogumelos. Nessa série o jogador irá se aventurar nas empreitadas de Wario para conseguir o que ele mais gosta: dinheiro. Para tanto, foi criada toda uma nova turma para acompanhar as empreitadas dele. Assim como Wario Land, WarioWare tem um forte apelo nos consoles portáteis da Nintendo, sendo o título mais recente da série, o ambicioso e divertido WarioWare Gold (3DS).

E o resto?

Agora você deve estar se perguntando, cadê o Yoshi? Bem, assim como Donkey Kong, o dinossaurinho mais amado dos games possui um título com seu nome desde a época do NES e antes mesmo dele se tornar ajudante número 1 do Mario. O primeiro game do Yoshi leva o nome do lagarto verde e tem uma jogabilidade de puzzle, no estilo Dr. Mario (NES), onde o jogador deve colocar três inimigos da franquia Super Mario alinhados para apagá-los da tela.

Mesmo tendo um currículo tão extenso quanto o encanador que o fez famoso, o nosso dinossauro tem várias aventuras solos divertidíssimas. A mais famosa é a série Yoshi’s Island, também famosa por sua presença nos portáteis, na qual Yoshi desempenha o papel de babá das versões bebês de Mario e seus amigos.

Donkey Kong também não fica atrás: depois de lavar as mãos como vilão de Mario, o macacão iniciou uma amada série que se originou no Super Nintendo, Donkey Kong Country. O último título da série, Donkey Kong Tropical Freeze (Wii U), possui uma versão portabilizada para o Switch e, se tivermos esperança, receberá mais um título num futuro próximo. Isso sem contar que o gorila, assim como Yoshi, tem uma extensa participação nos jogos do Mario.


Agora, cadê o jogo solo de Waluigi, Daisy e Bowser Jr., não é mesmo? O que será que falta para eles conseguirem a sua hora de brilhar por completo, além de participarem de Smash Bros. - feito esse que o Waluigi não conseguiu até hoje. E você, acha que quais personagens da série Mario deveriam ter seus próprios games? Comente aqui em baixo.

Revisão: Ícaro Sousa

Estudande de Letras que gostaria de aprender todas as línguas existentes, mal sabendo lidar com as duas que já fala. Descobriu seu amor pela Nintendo ao conhecer Super Mario 64 e desde então nunca mais largou os cogumelos, karts e rúpias que encontrou em seu caminho.

Comentários

Google
Disqus
Facebook