Vem aí

Prévia: Hyrule Warriors (Wii U) expande a franquia para novos reinos

O novo spin off de Zelda promete trazer novas perspectivas para a clássica saga do herói do tempo.


Surgida no Nintendinho, a série Zelda ganhou cada vez mais notoriedade no cenário dos jogos eletrônicos, principalmente pela alta qualidade dos seus títulos. Cada novo console da Nintendo ganhava um game da franquia, atingindo números estrondosos de venda e crítica. Com o Wii U a situação atingiu novos patamares, haja vista a tech demo de Zelda demostrada logo no anúncio do console. Assim, não é de se espantar com a enorme ansiedade de um novo game para o primeiro console em HD da empresa. Mas, enquanto muitos esperavam um novo game da franquia principal, praticamente todos foram pegos de surpresa com o anúncio de um spin off. Hyrule Warriors era exposto ao público de forma como se houvéssemos sofrido um golpe de Master Sword bem no peito, sem aviso. Criticado por alguns e aguardado com entusiasmo por muitos, o game está quase saindo! Então vamos conferir se toda essa expectativa é justificada e se o game vale mesmo todo esse alarde.

O anúncio de um “novo” Zelda

Revelado num Nintendo Direct em dezembro de 2013, o novo título da série Zelda surpreendeu a todos. Em parceria com a Koei Tecmo, a Nintendo revelava ao mundo o inédito Hyrule Warriors, que mesclaria o universo de Zelda com a serie beat'em up Dynasty Warriors.


Inicialmente divulgado como título provisório, parece que a comunidade de fãs abraçou a ideia, assim como seus desenvolvedores, pois este chega a datas de lançamento sem ter sofrido alterações em sua denominação. As primeiras imagens mostraram um jogo ainda inacabado, causando alvoroço entre os fãs em relação à baixa qualidade gráfica do game. Contudo, os meses passaram e Hyrule Warriors foi ficando cada vez mais lindo em cada imagem divulgada, substituindo a desconfiança por um entusiasmo crescente entre os gamers.

Mesmo não sendo de agora que a Nintendo “cede” uma de suas franquias para outra empresa trabalhar, nem o mais entusiasta e sonhador nintendista acreditaria que a Big N faria uma parceria tão inusitada ao ponto de deixar tocarem em Zelda. E é nesse espirito de surreal que embarcamos no imenso universo que faz parte deste game. Hyrule Warriors é uma reunião do fantástico mundo de The Legend of Zelda.

Uma nova lenda começou

Um novo jogo de The Legend of Zelda está chegando ao Wii U, mas ainda não é o esperado novo capítulo da série principal. Hyrule Warriors, o game que nasceu da parceria da Nintendo com a Koei Tecmo, vai trazer o esquema de controles e jogabilidade da franquia Dynasty Warriors aplicado em um cenário baseado na mitologia de Zelda.


Quem já jogou Dynasty Warriors sabe o quão frenética pode ser a jogabilidade, trazendo centenas de adversários em imensos campos de batalha que devem ser dominados pelo seu exército, garantindo assim a sua vitória.

O jogo que por sua existência já é uma quebra de paradigmas para a tradicional série, introduz novos conceitos, inclusive para a história. Além do triângulo formado pela Triforce, que une os três antagonistas num elo entre Coragem, Sabedoria e Poder. Neste game também existirá uma proposta de triangulo amoroso. A sacerdotisa Cia, então responsável pelo equilíbrio da Triforce, acaba nutrindo um sentimento pelo herói central. Ao observar o trato carinhoso entre o herói do tempo e a princesa Zelda, Cia tem seu coração corrompido pelo ciúme, assim, entregue aos sentimentos, a jovem Cia sucumbe às forças do mal, levando-a a declarar guerra contra seu próprio reino. Como castigo pela desilusão, Link precisará trazer paz e harmonia para os floridos campos de Hyrule e para os corações dessas moças.


O desequilíbrio da Triforce causado por Cia acaba trazendo o caos no mundo e três dimensões diferentes apareceram. Essas dimensões são os mundos de Ocarina of Time, Twilight Princess e Skyward Sword. Por isso o game não faz parte da cronologia oficial da série.

A originalidade, ou a forçada falta de vínculo com a série principal, acabaram rompendo vários elos e conceitos imutáveis até então. O foco dessa vez é quase total no combate, deixando de lado as resoluções de puzzles e explorações de calabouços. Outra novidade é a quantidade de personagens jogáveis, trazendo nomes queridos de vários títulos da franquia. Além disso, por mais que a trama seja a mais clichê, um tipo de triangulo amoroso envolvendo Link, Zelda e a vilã irá trazer um novo teor dramático/emotivo para a jogatina.


Link precisa unir forças com o exército de Hyrule para impedir que os monstros cheguem ao castelo. Para isso, ele precisa proteger os quadrantes do mapa e ajudar os aliados que estão espalhados por eles. Porém, pela primeira vez, a difícil tarefa de manter a paz não cai completamente nas costas do jovem guerreiro. Dessa vez, um time de fortes combatentes entra em campo para auxiliar o herói do tempo nessa difícil tarefa contra o mal.

Hyrule’s Dream Team

Poder controlar nossos personagens favoritos, além de Link, é algo inédito e muito bem-vindo nesses mais de 25 anos de franquia. O leque de oportunidades, mecânicas e jogabilidade abertas por essa iniciativa pode transformar a forma como a série principal se apresentará nos próximos títulos.

Como apresentado pela Nintendo, o jogador pode finalmente controlar a princesa Zelda neste novo game, trazendo algo bem diferente à jogatina. Embora essa não seja necessariamente a primeira vez em que podemos assumir a coroa de Hyrule, nenhum outro título ofereceu tanta liberdade quanto este.


Em Hyrule Warriors cada personagem contará com seu próprio estilo de luta e tipo de arma. Link, por exemplo, utiliza espadas e escudos; Zelda vai usar seu florete, como em Twilight Princess e; Midna, por sua vez, vai usar seus cabelos e invocar lobos Twili para dar conta de seus adversários. Enquanto outros itens serão compartilhados entre os personagens, como as bombas.


E esses guerreiros, de praticamente todas as linhas do tempo da franquia, não serão apenas ajudantes, mas combatentes ativos na jogatina. Os guerreiros de Hyrule estão unidos para deter os planos da bruxa Cia. Mas, para azar da malvada, esse time não é de brincadeira. O próprio Eiji Aonuma comentou que esses são “Os vingadores da série Zelda”, portanto, já é de se imaginar o time dos sonhos que teremos sob controle. Link, Impa, Zelda, Lana, Sheik, Darunia, Ruto, Midna, Agitha e Fi estarão controláveis e prontos para o duelo.


Se o time de guerreiros de Link é poderoso, o mesmo pode ser dito dos escolhidos para defender as forças do mal pela bruxa Cia. Zant, Ghirahim e o lendário Ganondorf estarão presentes no game. Será uma boa mistura para os fãs de Zelda e seus complexos universos entrelaçados por linhas do tempo. E por falar em linha do tempo, Hyrule Warriors não se passa em nenhuma delas, segundo o próprio produtor. Mas quem sabe isso não sofra alterações mais tarde? Vale a pena esperar.


Mas as referências aos títulos da série Zelda não param por aí. Até os famosos cuccos fazem uma pontinha no novo game do Wii U. As alucinadas galinhas, conhecidas pelo seu comportamento extremamente agressivo, agora estão do nosso lado (ou não). Resta torcer para essas desvairadas não resolverem descontar sua ira sobre nós em troco de todas as nossas agressões nesses últimos anos.

Um arsenal de peso

A imensidão de itens também fará do desafio de proteger o Reino uma tarefa muito mais agradável. Se atacar hordas de inimigos parece cansativo e repetitivo, alternar entre bombas, flechas, cajados e especiais pode trazer uma ar de novidade para as fases que se seguem na trama. Cansou de usar sua Master Sword ou os ataques com a Wind Waker? Que tal invocar a Lua destruidora de mundos de Majora’s Mask? Em Hyrule Warriors tudo é possível.


Existirá a possibilidade de customizar o arsenal do seu personagem, refletindo diretamente em seu desempenho, como o tipo de arma usada e as melhorias em equipamentos e itens. As rupees receberam novas funções em Hyrule Warriors: poderão ser usadas para custear o aumento do nível dos personagens. O que pode ser feito também batalhando e derrotando oponentes. Outra função da moeda de Hyrule é através da sua associação com materiais que os inimigos deixam cair, que podem ser levados ao Badge Shop para a produção de insígnias. Estas serão de grande ajuda durante o combate, e terão efeitos diversos dependendo da combinação realizada.

Palavras do chefe

25 anos pesam nas costas de uma série, mesmo quando esta se trata de Zelda. A formula principal de aventura e calabouços seguidos por uma ordem preestabelecido já davam sinais de desgaste, tanto que Aonuma aponta novos rumos para a franquia, começando pela maior liberdade em A Link Between World e o mundo aberto anunciado para o Zelda U. O que poucos arriscavam prever que esse novo game era um spin off com ação desenfreada, misturando elementos de um jogo sem muita expressividade.


Aonuma explica que uma das principais dificuldades de fazer alterações em uma série tão clássica quanto Zelda é a dificuldade de fazer com que o fã aceite essas mudanças. Desse modo, nada melhor do que usar um spin off como Hyrule Warriors para testar essas novidades. E o fato de termos outros personagens jogáveis além de Link pode ser um indicativo disso.


Segundo o produtor, o fato de estar envolvido nos dois títulos faz com que, mesmo de maneira inconsciente, os dois games dialoguem entre si. “Por mais que não seja algo intencional, as equipes se conversam e é natural que as ideias acabem sendo compartilhadas e adotadas em um ou outro jogo”, conta o produtor. “Um exemplo disso é que, no início do desenvolvimento do musou (palavra japonesa recorrente dos jogos da franquia Dinasty, que significa O único), a equipe responsável brincou dizendo que não aguentava mais o verde da roupa de Link e decidiu colocar um cachecol azul para criar uma quebra interessante. E foi exatamente esse elemento que influenciou o visual do personagem que vemos no trailer liberado na última terça-feira”.


“O jogo apenas se aproveita do universo que os fãs conhecem bem e traz algo completamente novo em cima disso”, explica Aonuma.

Um Zelda como nenhum outro

Mesmo sendo um jogo baseado em Dinasty Warriors, as referências à série criada por Miyamoto tornam a experiência única e convincente de que é um título de Zelda propriamente dito. Temos no topo da tela os famosos contadores de coração, além de rupees e baús escondidos, e boa parte do arsenal de Link, como a Master Sword, bombas, martelo e o cajado mágico, assim como a Wind Waker, dessa vez em posse da princesa Zelda.


Mecânicas dos jogos principais também estarão presentes em HW. A famosa mira introduzida em Ocarina of Time, a Z-targeting, estará presente no game, podendo desviar de golpes e mirar em pontos estratégicos do adversário. O Spin Attack, as bombas e poções também tem seu lugar reservado no arsenal do jovem guerreiro de Hyrule.

Os modos de jogo

E como um bom título Nintendo, o modo para dois jogadores estará presente. Agora com a novidade de poder utilizar duas telas separadas, um jogador terá sua visão na tela da TV, enquanto seu companheiro utilizará a tela do GamePad para controlar seu personagem. Mesmo sem a possibilidade de dividir a tarefa com alguém através da rede online, o modo de jogo para dois jogadores é muito bem-vindo na hora do combate desenfreado pelos campos vastos de Hyrule.


Além do modo para dois jogadores, o título traz um interessante modo aventura. Nele temos que explorar o mapa de Hyrule no melhor estilo 8-bits, concluindo missões e derrotando inimigos, liberando novas áreas e itens no decorrer da jornada.


Edições especiais

Warriors terá algumas edições especiais. A primeira delas, chamada de Premium Box, trará uma cópia do jogo, um livro oficial, seis códigos para vestimentas dos personagens e um belo relógio em formato de Triforce.

A segunda edição, intitulada Treasure Box, incluirá uma cópia do jogo, um livro oficial, oito códigos para vestimentas dos personagens, um baú que reproduz o clássico som quando aberto e um echarpe azul, similar ao que Link usa em Hyrule Warriors.  Além dessas edições especiais, o game contará com uma série de DLCs, incluindo roupas clássicas de diferentes títulos. Vamos torcer para que esses fantásticos itens cheguem por essas bandas do mapa.

A expansão do Reino

Unindo as brutais combinações de combos com táticas e estratégias eficientes, este game promete muitas horas de diversão por cenários icônicos e lendários de toda a franquia, indo do NES ao Wii.


Gráficos soberbos, trilha sonora clássica, novas mecânicas, vários personagens e uma trama afiada são a receita desse game que promete romper as barreiras atemporais de The Legendo of Zelda. Na verdade, essa empreitada da Tecmo parece mais uma homenagem ao maravilhoso mundo criado por Miyamoto, no qual o jogador estará no comando daqueles personagens que marcaram época e a história de Link no resgate da princesa Zelda.


Prometendo colocar os jogadores de The Legendo of Zelda em situações inéditas e unindo duas franquias completamente distintas num universo rico em fantasia, Hyrule Warriors tem tudo para conquistar os donos de um Wii U e se tornar um dos grandes títulos do primeiro console HD da Nintendo. Pegando todos de surpresa e conquistando a cada nova imagem, podemos esperar por uma obra digna do nome que carrega. Empunhe sua Master Sword e vamos detonar tudo que vier pela frente, pois dia 26 de setembro está chegando e você não vai querer ficar de fora dessa.


Hyrule Warriors — Wii U
Desenvolvimento: Team Ninja / Omega Force
Gênero: Ação, hack and slash
Lançamento: 26 de setembro de 2014
Expectativa: 5/5
Revisão: Vitor Tibério
Capa: Wellington Aciole
Ítalo Chianca escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais