Os jogos preferidos de Super Nintendo — Vinícius Veloso

Os redatores do Nintendo Blast celebram o Super Nintendo e seus jogos.



Quando percebi que o lançamento do SNES no mercado ocidental completou 25 anos, no último mês de agosto, bateu em mim um sentimento de saudades. Eu e o console temos, praticamente, a mesma idade, e o considero um verdadeiro companheiro de uma vida inteira. Afinal, a máquina da Nintendo foi responsável por me apresentar ao incrível universo dos videogames e muitas das minhas melhores lembranças envolvem a plataforma revolucionária da Big N.


Acredito que a biblioteca de jogos do Super Nintendo é a mais completa de toda a história, até por isso, fica difícil a tarefa de categorizar somente alguns deles como marcantes. Para elaborar essa lista, o principal critério que usei foi eleger os títulos que me causaram algum tipo de sentimento durante a infância. Portanto, de maneira alguma, os títulos que aparecem por aqui são os melhores ou os que revolucionaram o mercado, por exemplo, The Legend of Zelda: A Link to the Past acabou ficando de fora, pois só o joguei após o lançamento de Ocarina of Time (N64).

Então, depois das brilhantes listas de Pedro Vicente, Ailton Bueno, Juni Chaves e Gilson Peres, mantenham os cintos apertados e vamos juntos continuar nessa viagem de volta à era dos 16-bits.

Super Mario World

Seria injustiça começar esse texto com qualquer outro game que não fosse Super Mario World. Quando eu tinha cinco anos e ganhei o Super Nintendo dos meus pais, o cartucho que veio junto do console foi Super Star Wars - The Empire Strikes Back. Devido à dificuldade elevada, não me interessei muito pelo brinquedo novo e, em menos de uma semana, já tinha abandonado o videogame. Não querendo perder o investimento feito no SNES, minha mãe foi até a locadora do bairro e conseguiu trocar a aventura Jedi por uma cópia de Super Mario World.

Todo aquele movimento e colorido na tela despertou em mim um amor à primeira vista. Como diz o texto sobre mim no final deste artigo: “Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo”. Tenho certeza de que se não fosse o encanador bigodudo, atualmente eu não teria tamanho interesse nos videogames.


Donkey Kong Country

Se Super Mario World me encantava pelo seu mundo fantasioso, o que me atraiu em Donkey Kong Country era o realismo. Não sei dizer se era minha percepção de criança, mas achava as fases aquáticas e as de neve totalmente reais e acreditava que todos aqueles cenários existiam de verdade. Outro nível memorável é o do carrinho, quem nunca suou frio ou passou muita raiva nele?

Poder alternar entre Donkey e Diddy a qualquer momento era algo impressionante também, existiam determinados níveis que eu só conseguia passar com um ou outro.


Teenage Mutant Ninja Turtles IV: Turtles in Time

Uma das essências que está sendo perdida nas atuais gerações é a jogatina cooperativa local. Nos anos 1990, em vez das disputas online, o legal era encher a sala de casa com os amigos depois da escola e passar a tarde toda jogando alguma coisa. No Super Nintendo, sinônimo de multiplayer é Teenage Mutant Ninja Turtles IV: Turtles in Time. Já perdi as contas de quantas vezes detonei o Destruidor e recuperei a Estátua da Liberdade nessa que é a melhor aventura das tartarugas.

Apesar de ser um jogo cooperativo, também aconteciam algumas brigas. As discussões com meu irmão mais novo eram constantes para ver quem iria escolher o Donatello, personagem favorito de ambos. Meu amor por TMNT IV é tão grande que meu hype foi ao espaço quando, no início deste ano, foi anunciado Teenage Mutant Ninja Turtles: Mutants In Manhattan, que prometia resgatar o gênero beat'em up. Porém, do mesmo jeito que a ansiedade subiu, ela caiu ao saber que esse novo jogo não tem multiplayer local.


Goof Troop

Outro clássico das jogatinas cooperativas locais é Goof Troop. Nesse jogo, ajuda é uma palavra que realmente tem que ser levada a sério. No controle de Pateta e Max, um deve auxiliar o outro carregando materiais para fazer pontes, atrair inimigos para armadilhas e derrotar os chefões de cada fase. Passei muitas madrugadas com meu irmão tentando resolver todos os quebra-cabeças da aventura, porém esse é um dos títulos que eu nunca consegui finalizar.


The Magical Quest Starring Mickey Mouse

O camundongo da Disney bateu cartão no SNES. O console recebeu diversos jogos estrelados por Mickey Mouse, mas o que mais me marcou foi The Magical Quest. Ganhei o cartucho de presente de Natal e lembro que antes do Réveillon já tinha o terminado umas três vezes. O que mais me chamava atenção nesse título eram as diferentes roupas usadas pelo orelhudo para passar cada nível.

A fase que eu mais gostava era a do incêndio, onde Mickey usava roupas de bombeiro. A admiração era tamanha que, por um período na minha infância, pensei em virar bombeiro quando crescesse.


Disney's Aladdin

Meu desenho favorito sempre foi Aladdin, por isso, vocês devem imaginar a cara de felicidade que fiz quando encontrei na locadora um jogo do ladrãozinho de Agrabah. Apesar de ser uma aventura no estilo plataforma bem rápida de ser terminada, lembro que peguei essa fita mais de dez vezes. O que mais gostava era perceber como as músicas que eu ouvia na animação eram reproduzidas no videogame. Inclusive, enquanto jogava, costumava ir cantarolando as letras que já estavam grudadas na cabeça.

Joguei tanto Aladdin que até hoje tenho na memória o password para última fase. Quer pular direto para o final? É só colocar a sequência: Jafar, Jasmine, Aladdin, Jafar.


The Adventures of Batman & Robin

A série animada do Batman fazia muito sucesso nas manhãs do SBT. Como fã do Homem-Morcego, não poderia deixar de lado a melhor aparição do herói no Super Nintendo. Mesmo com nível de dificuldade elevado, minha persistência e várias folhas de caderno com passwords anotados me ajudaram a finalizar a aventura. Me lembro de ter ficado bastante surpreendido na missão final, quando todos os inimigos que já havia derrotado anteriormente voltaram para tentar a vingança contra o Cavaleiro de Gotham.

Também foi devido a The Adventures of Batman & Robin que acabei conhecendo melhor todo o universo do personagem.


Marvel Super Heroes: War of the Gems

Outro jogo de super-heróis que marcou foi Marvel Super Heroes: War of the Gems, mesmo em uma época em que os Vingadores nem sonhavam em aparecer no cinema. Era incrível poder escolher entre o Capitão América, Homem de Ferro, Hulk, Homem-Aranha e Wolverine para missões em busca das Joias do Infinito. Até hoje, considero esse o melhor game que reúne a equipe de elite da Marvel.


An American Tail: Fievel Goes West

Assim como o filme de mesmo nome, An American Tail: Fievel Goes West é pouco conhecido no Brasil. Na mesma locadora em que consegui Super Mario World, resolvi alugar tanto a animação quanto o game no mesmo dia. A experiência não poderia ter sido melhor. Virei fã do personagem e logo busquei novas informações sobre ele, inclusive, descobrindo que já existiam outros filmes lançados.

Já o jogo, é um plataforma bem simples que retrata com fidelidade as passagens mais importantes da animação.


Pink Panther Goes to Hollywood

Esse game da Pantera Cor de Rosa me marcou por ter sido responsável pela minha primeira ligação para a Power Line. Para quem não conhece, esse era um serviço da Nintendo em que as pessoas entravam em contato via telefone para solucionar dúvidas e descobrir como passar aquelas partes mais difíceis dos jogos. Em Pink Panther Goes to Hollywood, o personagem está em um estúdio de cinema e pode visitar as gravações de vários filmes, sendo que cada cenário é uma fase diferente. Porém, quando eu terminava todas, não acontecia nada e os níveis continuavam todos abertos.

Depois de tentar inúmeras soluções, liguei para a linha especial e descobri que para fechar as fases era necessário encontrar e derrotar o Inspetor Jacques Clouseau em todos os cenários. Obrigado, Power Line!


 
Mesmo com seus 25 anos, o SNES ainda está presente na minha vida e, até hoje, continuo descobrindo jogos incríveis para o console que não tive oportunidade de experimentar durante a infância. Graças ao Virtual Console, pude conhecer melhor Super Metroid, Chrono Trigger, Mega Man X, entre tantos outros. E para vocês, caros leitores, quais foram os títulos do Super Nintendo que mais marcaram?

Revisão: Luigi Santana
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais