Blast from the Past

Super Ghouls ‘n Ghosts (SNES) — a desafiante aventura para livrar a princesa das mãos do demônio

Relembre essa aventura desafiante da franquia Ghosts 'n Goblins, lançada para o Super Nintendo.

Os assinantes do serviço online do Switch agora têm à disposição uma biblioteca recheada de títulos originalmente lançados para o SNES. É a oportunidade de conhecer ou revisitar alguns dos clássicos que foram responsáveis pelo imenso sucesso da plataforma de 16-bits da Big N. Para melhorar ainda mais sua experiência com esses games, o Nintendo Blast está preparando uma série de matérias com detalhes e curiosidades sobre cada um dos jogos presentes no catálogo. Hoje é o dia de falarmos de Super Ghouls ‘n Ghosts.

Mais uma vez, a princesa foi raptada

Na semana passada, conversamos um pouco sobre Demon’s Crest, um spin-off da série Ghosts ‘n Goblins de altíssima qualidade que também está disponível no novo serviço online da Big N. Este título faz parte da série Gargoyle’s Quest, narrando as aventuras de Firebrand, um demônio pertencente ao mesmo universo do título que iremos relembrar hoje.

Super Ghouls ‘n Ghosts é o terceiro grande lançamento da franquia original, a qual se estabeleceu nos arcades com o primeiro título de mesmo nome. Criada por Tokuro Fujiwara, a série que contava as histórias do cavaleiro Arthur tentando salvar a princesa dos terríveis demônios ganhou, em 1991, sua primeira entrada para o Super Nintendo.

Dessa vez, a princesa Prim Prim foi raptada pelo demônio Sardius e levada para o reino dos demônios, logo após o castelo ter sido reerguido dos desastres ocorridos no título anterior. Arthur, que visitava a princesa pela primeira vez após os desastres do título anterior, percebeu que o novo ataque não se tratava do retorno de Lucifer — o qual prometeu que retornaria quando derrotado, mas sim de um novo vilão que buscava o paradeiro do Goddess Bracelet.

O cavaleiro novamente embarca em uma aventura pelas diferentes fases para salvar a donzela em perigo. Mas não se engane: esse título está na lista dos jogos difíceis do SNES. Você inicia com um determinado número de vidas, de acordo com a dificuldade escolhida, e dispõe delas para vencer os sete estágios pelo reino dos demônios. Cada morte te faz retornar para o início da fase, é claro, mas o fim das vidas significa que você terá que reiniciar toda a aventura.

Este é mais um jogo de plataforma de alta qualidade, reapresentando as mecânicas presentes nos títulos anteriores e trazendo algumas novas, como o pulo duplo. Por fazer parte do gênero de plataforma de ação, é possível desferir ataques contra os inimigos com as armas obtidas ao longo da jornada e obter melhorias para a sua armadura em baús escondidos pelos mapas.


A física presente no título, porém, pode causar estranheza aos fãs do Mario, que gostam de mudar de direção no ar. Com exceção do pulo duplo, o único que permite a troca de direção, não é possível mover o personagem no meio do ar. Pode até parecer que esse aspecto da jogabilidade não altere a dificuldade, mas acaba se tornando um dos principais desafios que, se bem treinados, transformam qualquer jogador num mestre.

E não só melhoraram as mecânicas, mas também a criatividade, a beleza e a trilha sonora. O número reduzido de fases criadas deu aos desenvolvedores a liberdade para criar ambientes completamente distintos, com a inserção de novos inimigos, novos sprites e alguns modificadores que, como se não bastassem, dificultam mais um pouquinho a experiência (sim, eu estou falando das paredes móveis no estômago da besta).

Uma (ou duas) voltinhas no reino dos demônios

Com tanto capricho — na arte e na dificuldade — em cada um dos diferentes estágios, nada melhor do que conhecermos um pouco mais de cada um deles e das diferentes dinâmicas que cada um pode apresentar.
  • The Dead Place 
Não há lugar melhor para começar uma aventura em busca da princesa perdida do que “o local dos mortos”. Aqui, grandes massas de terra se movem enquanto você avança, pegando-o de surpresa com os inimigos mais comuns do jogo: zumbis, lobos e algumas pequenas surpresas.
  • The Rotting Sea
Aqui, você perceberá as reais intenções dos desenvolvedores de frustrar os jogadores. E toda a bela construção de cenários mostra a que veio o jogo. Você inicia em um barco abandonado e mal assombrado, cheio de fantasmas e falsos baús, mas o desafio só se apresenta quando alguns poucos pedaços de madeira se tornam a sua jangada para avançar pelo mar, atormentado por fortes tempestades e ondas.
  • Vermilion Horror
Da água para o fogo, o castelo repleto de monstros gigantes está preparado para te queimar em sua lava escaldante. Você subirá e descerá pelo entorno de altas torres, tendo que lidar com várias criaturas ziguezagueando para tirar a sua vida.
  • The Ghoul's Stomach
Eu falava desse desafio quando me referi ao estômago da besta anteriormente, onde as paredes se transformam em espinhos e liberam gases perigosos, sem contar os demônios voadores e os esqueletos flamejantes. Em determinado momento, o cavaleiro irá percorrer o interior do órgão em uma plataforma voadora, enquanto as paredes se movem rapidamente — o suficiente para deixar você tonto.
  • The Deep Chill
Depois dos fluidos digestivos de uma besta gigante, por que não experimentar um frio congelante? Aqui, o jogador avançará por terrenos escorregadios, neve constante, espinhos que se movem e avalanches — não se esqueça de se segurar nas escadas.
  • The Castle of the Emperor
Apesar de curta, essa fase é bastante desafiadora. Dentre os inimigos que você enfrenta, o destaque vai para Firebrand, o demônio protagonista de Demon’s Crest. Basicamente, a trilha sonora de terror nesse castelo te guia no combate contra alguns inimigos até o chefe.
  • Hallway of Ghouls
Como uma continuação da fase anterior, e de forma muito semelhante, você enfrentará alguns poucos inimigos para chegar ao confronto com o chefe final da aventura e, finalmente, salvar a princesa Prim Prim…

Aos jogadores mais desavisados, que desejavam conhecer a aventura pela primeira vez, descobrirão então que a princesa escondeu o bracelete no castelo, e que o cavaleiro Arthur deverá percorrer todo o caminho novamente para então atingir o final real da aventura e salvar a donzela. A dificuldade, porém, é mais elevada na segunda jogatina, por isso tome cuidado!

Super Ghouls ‘n Ghosts é mais um daqueles títulos que fizeram sucesso em sua época e são muito bem-vindos ao Super Nintendo no Nintendo Switch Online. Mas, para aqueles que dispõem de pouco tempo e paciência, talvez seja muito frustrante avançar sem o uso da função Rewind ou dos Save States. Vale a pena conferir esse grande título dos anos 90.

Confira, logo abaixo, outras matérias dos jogos que integram o catálogo do Super Nintendo no Switch Online.
Revisão: Jorge Neto

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google