Blast from the Past

Kirby’s Dream Course (SNES) e a estreia da bolota cor de rosa nos 16-bits

Primeira aparição do personagem no Super Nintendo aconteceu em um spin-off que tinha o golfe como tema.



Os assinantes do serviço online do Switch agora têm à disposição uma biblioteca recheada de títulos originalmente lançados para o SNES. É a oportunidade de conhecer ou revisitar alguns dos clássicos que foram responsáveis pelo imenso sucesso da plataforma de 16-bits da Big N. Para melhorar ainda mais sua experiência com esses games, o Nintendo Blast está preparando uma série de matérias com detalhes e curiosidades sobre cada um dos jogos presentes no catálogo. Hoje é o dia de falarmos de Kirby’s Dream Course.


Após desfilar sua fofura pelo Game Boy e NES, Kirby estava mais do que preparado para estrear no Super Nintendo. Porém, ao invés de uma aventura tradicional no estilo plataforma, a primeira aparição da bolotinha cor de rosa nos 16-bits aconteceu em um spin-off esportivo. Kirby’s Dream Course foi inicialmente lançado no Japão, em 1994, e no ano seguinte chegou à América do Norte e Europa.

A história do desenvolvimento do jogo está diretamente ligada com um game bastante promissor, que até mesmo chegou a ser estampado na embalagem do SNES, mas foi misteriosamente cancelado. A Nintendo trabalhava em um título de golfe que inovaria ao apresentar elementos tridimensionais de física e jogabilidade. Batizado de Special Tee Shot, ele era acompanhando de perto pelas revistas da época.
O 'esboço' de Kirby's Dream Course


Mesmo com a cobertura da imprensa, aos poucos, o jogo foi sendo esquecido até o cancelamento oficial. Até hoje, os motivos que levaram a interrupção do projeto são obscuros, mas a especulação é que a Big N percebeu que o game estava genérico e sem identidade. Então, decidiu pedir ajuda da HAL Laboratory, que tinha conquistado grande sucesso com Kirby's Dream Land e possuía experiência com jogos de golfe.

A relação do estúdio com a modalidade remonta a Golf, do NES — que contou com o trabalho de Satoru Iwata na equipe de programação. A HAL também já tinha criado a série Hole in One, composta de seis games e o último deles sendo o primeiro jogo desse esporte lançado para Super Nintendo. Escolhida para o trabalho, a HAL apostou em seu mascote para dar a Special Tee Shot o diferencial que a Big N procurava.

Algum tempo depois, Kirby's Tee Shot era revelado, mas, antes do lançamento, seu nome mudou para Kirby’s Dream Course. Já Special Tee Shot, que foi uma espécie de beta, não se perdeu completamente. Em 1996, ele foi disponibilizado no Super Famicom por meio do Satellaview (acessório que funcionava como um modem via satélite). Alguns cartuchos com o protótipo também circulam pelo mercado informal dos EUA.
Matéria publicada na edição 65 da revista EGM, em dezembro de 1994, apresentando 'Kirby's Tee Shot'

Um problema espacial

Mesmo baseado no golfe, Kirby’s Dream Course tem uma história. Na versão japonesa do game, esse enredo é apresentado em uma cutscene mostrada na tela de título caso nenhum botão do controle seja pressionado durante alguns segundos. Já nas cópias ocidentais, a pequena animação foi completamente removida para economizar espaço no cartucho e os detalhes da trama são encontrados somente no manual que acompanhava o jogo.

Há também algumas diferenças nas histórias. Nas fitas nipônicas, as noites em Dream Land ficaram sem estrelas e sobrou somente um ponto luminoso no céu escuro. Curioso, Kirby aponta o telescópio para ele e percebe que King Dedede está tentando levá-lo embora. Quando o monarca percebe que está sendo observado, sai correndo e acaba derrubando a estrela. Kirby rapidamente sobe nela e viaja para o castelo flutuante do vilão.

Por outro lado, o manual ocidental diz que os habitantes de Dream Land se assustaram quando as estrelas desapareceram certa noite. Apesar do problema, a esperança de que as coisas voltariam ao normal era mantida, mas nada acontecia. No meio do caos, surge o boato de que King Dedede roubou as estrelas para que somente ele pudesse apreciar a beleza delas. Kirby então decide ir investigar o vilão para saber se os rumores são verdadeiros.
A história contada no manual da versão ocidental

Acertando os buracos

O gameplay foge bastante dos outros jogos de golfe que existiam na época. Controlando Kirby no formato de bola, é necessário ir acertando e eliminando os inimigos pelo caminho. Ao derrotar o último deles, é revelado o buraco onde a esfera rosada deve ser colocada. Dependendo da pontuação adquirida, a recompensa são medalhas de ouro, prata ou bronze — colecionáveis usados para liberar novos conteúdos no game, como mapas extras.

No total, são 12 cenários com oito buracos cada, além do último que recebe a batalha contra o chefe final. No entanto, nem todos são acessíveis no modo single player, já que quatro deles são exclusivos do multiplayer. Quando jogado junto de um amigo, Kirby’s Dream Course se transforma em um game competitivo em que o vencedor será aquele que coletar a maior quantidade de estrelas.

A icônica habilidade de copiar movimentos está presente em Dream Course. Ao acertar certos inimigos, Kirby assimila seus poderes e consegue progredir pelos cenários com maior facilidade. São 10 habilidades disponíveis: Burning, Freeze, Hi-Jump, Needle, Parasol, Spark, Stone, UFO, Tornado e Wheel. Entender a melhor maneira de aproveitar os benefícios de cada uma delas é fundamental para conquistar a medalha de ouro.
Acumule o máximo de pontos para conquistar a medalha dourada

Sistema antipirataria

Dream Course é o primeiro título da franquia Kirby com sistema de proteção contra cópias piratas. Caso o SNES perceba que o cartucho não é original, uma mensagem de aviso surge na tela. O jogador consegue ignorá-la, porém o game se tornará muito mais difícil depois do alerta. Sendo quase impossível terminar qualquer fase, o normal é tomar logo um game over e ele trará junto uma surpresa nada agradável. A opção “continue” estará desabilitada e todos os dados salvos são apagados do cartucho.

Os desenvolvedores não pouparam nem os mais habilidosos. Caso o jogador passe de fase, mesmo com a dificuldade extra, o game simplesmente travará — não sem antes também excluir os dados salvos. Esse sistema antipirataria ainda bloqueia o funcionamento de cartuchos japoneses em consoles ocidentais e vice-versa.
Ness, é você!?
Há alguns pequenos easter eggs sonoros em Dream Course. Certos efeitos são os mesmos que podem ser encontrados em EarthBound, entretanto nunca ficou claro se realmente é uma homenagem ou foi só uma preguicinha da HAL Laboratory. Afinal, os dois jogos estavam sendo desenvolvidos simultaneamente dentro do estúdio.

Uma estreia histórica

Além de ser divertido, Kirby’s Dream Course também merece ser lembrado por sua relevância histórica. Afinal, mesmo se tratando de um spin-off, foi a estreia da bolota cor de rosa em uma nova plataforma — sendo que o personagem já tinha passagens pelo Game Boy e NES, tudo isso em um curtíssimo intervalo de apenas dois anos. Mais tarde, o rechonchudo também levou sua franquia principal para os 16-bits, mas isso é assunto para outro texto deste especial.

Confira, logo abaixo, outras matérias dos jogos que integram o catálogo do Super Nintendo no Switch Online.

É jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Diretor de Redação do Nintendo Blast.

Comentários

Google
Disqus
Facebook